O banco digital Will Bank está recrutando 100 profissionais (apelidados pela empresa de “Willers”) para diversas áreas, incluindo TI, RH, desenvolvimento de produtos, design, CRM, marketing, análise de dados, entre outras.

A maior parte das vagas é para home office, mas há oportunidades para trabalho presencial nos escritórios de São Paulo (capital) e Vitória (ES). Vale destacar que alguns cargos não exigem formação superior, como os de agilista, agente de consumer experience, desenvolvedor, entre outras. 

publicidade

Estão abertas também cinco vagas de estágio na área de risco de crédito. Os interessados devem ter disponibilidade para estagiar 20 ou 30 horas semanais (4 ou 6 horas diárias) e residir na cidade de São Paulo. 

Também é imprescindível estar cursando a partir do 5° semestre (em 2021) nos cursos de Administração, Análise de Sistemas, Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Ciência da Computação, Economia, Engenharia, Estatística, Física e Matemática.

Fintech Will Bank abre vagas efetivas e de estágio. Foto? Divulgação/Will Bank

“O perfil que buscamos é o de alguém que se expresse bem, tenha capacidade de mediar conflitos e saiba propor melhorias para os produtos e serviços que usa”, adianta a diretora de Pessoas e Cultura do Will Bank, Marília Amêndola.

Para se inscrever nas vagas efetivas e saber mais informações, acesse este link. Já para participar do processo seletivo de estágio, acesse esta página.

Banco digital para todos

O Will Bank chegou ao país em outubro do ano passado com o propósito de ser o banco digital mais democrático e abrangente do país. Uma opção para quem precisa de um cartão de crédito sem anuidade e serviços de conta digital sem tarifas.

A fintech deriva do pag!¹, startup do mercado financeiro criada em 2017 e que recentemente chegou à marca de 1,4 milhão de clientes distribuídos em todas as regiões brasileiras, sendo 80% deles em cidades com menos de cem mil habitantes.

A meta do Will Bank para este ano é crescer mais que o dobro de 2020. Para isso, serão investidos R$ 60 milhões em pessoas e tecnologia. Desde o início da pandemia, a fintech admitiu mais de 400 profissionais de diversas regiões do Brasil.