O CEO da Tesla, Elon Musk, se pronunciou no sábado (20) sobre a decisão do governo chinês de proibir o uso de carros da montadora por militares ou funcionários de empresas estatais. Segundo ele, sua empresa seria fechada se os veículos fossem usados ​​para espionagem.

O comentário foi feito durante participação do executivo em uma conferência virtual para o Fórum de Desenvolvimento da China, evento apoiado pelo governo e realizado em Pequim.

publicidade

Se a Tesla usasse seus automóveis para espionar em qualquer país, afirmou ele, ela seria fechada em todo o mundo, portanto, esse é “um incentivo muito forte para que sejamos muito confidenciais”.

Elon Musk durante conferência virtual no Fórum de Desenvolvimento da China. Foto: Wu Hong/Shutterstock

“Seja chinesa ou americana, os efeitos negativos se uma empresa comercial se envolvesse em espionagem – os efeitos negativos para essa empresa seriam extremamente ruins”, acrescentou Musk.

A declaração do empresário é uma resposta à preocupação das autoridades chinesas. Segundo informou o The Wall Street Journal na sexta-feira (19), o governo chinês teme que os dados coletados pelos veículos da Tesla, como imagens feitas pelas câmeras dos carros, possam ser transmitidos aos Estados Unidos.

De acordo com a Tesla, todos os proprietários de carros elétricos da companhia tem a opção de aceitar ou não o compartilhamento de dados de vídeo como parte de seu programa ‘Autopilot e Full Self-Driving‘.

A China se tornou um mercado crucial para a Tesla, que tem uma fábrica em Xangai e já comercializa um quarto de suas vendas globais (de quase 500 mil veículos) no país. Em fevereiro, o Model Y foi o terceiro veículo elétrico (EV) mais vendido naquele país, segundo dados da China Passenger Car Association.

Leia mais:

China x EUA

Os Estados Unidos (EUA) também já mostraram preocupações semelhantes sobre a espionagem de produtos vindos da China, como a proibição de produtos Huawei no país. A decisão, tomada ainda no governo Donald Trump, continua válida na gestão Joe Biden.

No início do mês, o atual governo dos EUA designou cinco firmas de tecnologia chinesas como “risco inaceitável” à segurança nacional americana. Além da Huawei, outras empresas como ZTE, Hytera Communications, Hangzhou Hikvision Digital Technology e Dahua Technology. também estão na lista da Comissão Federal de Comunicação dos Estados Unidos (FCC).

Via: WSJ