A Nasa espera realizar o primeiro voo de uma aeronave em outro planeta a partir de 8 de abril. A estimativa para decolagem do helicóptero Ingenuity, atualmente na superfície de Marte, foi informada pela agência espacial norte-americana em uma coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira.

O helicóptero está atualmente sendo transportado até o “aeródromo” escolhido pela agência a bordo do rover Perseverance. Uma vez que esteja exatamente no meio do local, uma área de 10 por 10 metros a norte do local de pouso do rover, começa o processo de “desembarque”, algo que nunca foi tentado antes.

publicidade

“Assim que começarmos o desembarque, não há como voltar atrás”, disse Farah Alibay, líder de integração do helicóptero com o Perseverance. “Todas as atividades são cuidadosamente coordenadas, irreversíveis, e dependem uma da outra. Se houver o menor sinal de que algo não está ocorrendo como esperado, podemos decidir aguardar um sol (nome dado ao dia marciano) ou mais até termos uma melhor ideia do que está acontecendo”.

Todo o desembarque levará seis sóis (equivalente a seis dias e quatro horas na Terra), começando com a abertura do mecanismo que mantém o helicóptero firmemente preso à “barriga” do rover desde o pouso.

Ao fim do processo a equipe terá 30 sóis para fazer todas as checagens pré-voo e os cinco voos programados. O primeiro deles deve ser simples: uma decolagem vertical, subida a 3 metros de altitude, 30 segundos pairando no ar e um pouso.

A partir do momento em que for desconectado do Perseverance, o Ingenuity funcionará de forma autônoma e será alimentado por painéis solares integrados. Se o helicóptero conseguir sobreviver à primeira noite marciana, a equipe fará “todo o possível” para garantir o sucesso do voo.

“O Ingenuity é um teste experimental de engenharia – queremos ver se podemos voar em Marte”, disse MiMi Aung, gerente de projeto do Ingenuity no JPL. “Não há instrumentos científicos a bordo e nem metas de obtenção de informações científicas. Estamos confiantes que todos os dados de engenharia que desejamos obter na superfície de Marte e no alto podem ser obtidos dentro dessa janela de 30 sóis”.

Leia mais:

A equipe compara o voo do Ingenuity com o primeiro voo dos irmãos Wright, que nos EUA são considerados os pais da aviação, em 17 de dezembro de 1903. Para reforçar a conexão, o Ingenuity leva consigo, enrolado em um cabo, um pedaço da lona usada para revestir o “Wright Flyer”, aeronave que realizou o feito. 

Não é a primeira vez que um artefato da história da aviação vai ao espaço. Um outro pedaço da lona do Wright Flyer, bem como uma lasca da madeira usada como suporte de uma das asas, foram levados à Lua e depois voltaram à Terra na missão Apollo 11, em 1969. 

Fonte: Nasa