EnglishPortugueseSpanish

As luas dos grandes planetas como Júpiter e Saturno são mundos fabulosos e, alguns deles, possuem características parecidas com a Terra. Desta vez, um grupo de astrônomos descobriu que Encélado, uma das luas de Saturno, possui um oceano que jorra água e ao que tudo indica é mais ativa do que se pensava. 

As observações permitiram a elaboração de novas teorias, que sugerem que 20 quilômetros abaixo da superfície, o oceano de dentro deste mundo gelado pode ter correntes parecidas com a da Terra, mais precisamente às encontradas em algumas regiões da Antártida. A nova teoria vai contra o pensamento anterior, que sugeria que o oceano de Encélado seria homogêneo e vertical. 

publicidade

Leia também: 

Os estudos ainda precisam de maiores confirmações, contudo, pode ajudar pesquisadores a avaliar o quão hospitaleiro o oceano dessa lua seria para microrganismos, assim como o de outras luas geladas parecidas. 

“Entender quais regiões do oceano subsuperficial podem ser as mais hospitaleiras para a vida, como a conhecemos, pode um dia informar os esforços de busca por sinais de vida”, afirma o professor de ciência ambiental e engenharia do Instituto de Tecnologia da Califórnia, Andrew Thompson. 

A nova pesquisa também sugere que os níveis de sal presentes na Encélado variam de região para região, algo que pode alterar os padrões de circulação, algo que acontece nos oceanos que circundam a Antártida. 

Observação foi feita há 7 anos

A nave espacial Cassini sobrevoou a órbita de Saturno entre 1997 e 2017. Crédito: Nasa

A lua gelada de Saturno já é observada desde 2014, quando foi flagrada pela espaçonave Cassini. Na ocasião, foram observados diversos gêiseres, que eram expelidos por fissuras na camada de gelo. Mas outras medições feitas pela nave apontam que o gelo da Encélado é mais fino dos pólos do que em seu centro, o que sugere que ele foi derretido nos extremos. 

De acordo com os pesquisadores, esse derretimento seria o responsável pela alteração das correntes oceânicas, já que água salgada tende a liberar o sal após congelada. Isso faz com que a água a seu redor se torne mais pesada e comece a afundar. Quando esse gelo derrete, acontece o contrário, com o sal se diluindo e reduzindo a densidade da água.

O trabalho da Cassini foi finalizado em 2017, por conta disso, os pesquisadores precisarão usar dados de arquivo e trabalho de telescópios para descobrir mais informações sobre a Encélado até que outra missão seja enviada para Saturno, o que ainda não tem uma data prevista para acontecer.

Com informações do Space.com

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!