EnglishPortugueseSpanish

Supermercados totalmente focados em entregas por delivery que não realizam vendas presenciais. Essa é a nova aposta da startup colombiana Rappi, que iniciou a operação de 26 “dark stores” no Brasil na terça-feira (6), com a premissa de entregar diversos itens — de alimentos até produtos de limpeza — em até 10 minutos.

Por conta do distanciamento social oriundo da pandemia de coronavírus, muitas pessoas passaram a fazer as compras do mês por aplicativos de delivery, sem a necessidade de ir até um supermercado. O problema é que o entregador, por vezes, passava longos períodos nas filas dos estabelecimentos: uma compra “básica” de poucos produtos parecia durar uma eternidade.

publicidade

Isso desencadeou o surgimento de dark stores, que são pontos de venda ou centros de distribuição exclusivamente voltados para compras online. Desta forma, os estabelecimentos atendem somente às empresas de delivery e, com menos fluxo, a entrega tende a ser muito mais rápida.

Exemplo de dark store
Dark stores são a nova aposta da Rappi para reduzir os prazos de entrega dos pedidos. Foto: Joshua Rainey Photography/Shutterstock

“Com uma tecnologia nossa desenvolvida em casa, é possível montar o pedido em menos de dois minutos dentro da dark store enquanto o entregador parceiro já está no caminho para retirada”, afirmou Ana Bogus, diretora global de Supermercados, Farmácias e Bebidas da Rappi.

As operações da Rappi com as dark stores estarão disponíveis nas cidades de São Paulo, Campinas, Curitiba, Recife e Fortaleza. Todos estes estabelecimentos terão produtos de varejistas parceiras da companhia, que poderão ser adquiridos por meio da entrega “Turbo” — com o mesmo valor do frete convencional — disponível no aplicativo.

Leia mais:

Rumo ao crescimento

A ação é mais uma forma da Rappi otimizar a experiência de compra do usuário. Atualmente, a empresa possui 100 “dark kitchens” — que funcionam da mesma maneira, mas com a venda de comidas — espalhadas pelo Brasil.

Com o modelo implementado para as compras de supermercado, o plano da Rappi é de chegar a 60 dark stores até o primeiro semestre e de 100 estabelecimentos do tipo até o fim de 2021 — também contabilizando as lojas abertas no México.

O sucesso do modelo deverá potencializar os ganhos da companhia, que observou um crescimento de 79% na vertical de supermercados, bebidas e farmácias em 2020 no Brasil.

Fonte: Estadão