Smartphones, tablets e computadores tendem a ser vendidos não só novos, como também usados. O problema está justamente no repasse desses dispositivos. Uma pesquisa da Kaspersky, empresa de cibersegurança, observou que 90% dos aparelhos saem das mãos dos donos contendo informações confidenciais da pessoa, sem segurança nos dados.

Os pesquisadores analisaram quase 200 dispositivos de mídias de armazenamento no período de dois meses, entre eles cartões de memória e discos rígidos dos aparelhos. E lá encontraram os dados abandonados em 90% deles. Outro percentual descoberto foi o de que 16% permitiam o acesso imediato a essas informações.

publicidade

Leia mais:

Já em 74% dos aparelhos, a Kaspersky conseguiu extrair os dados através do esculpimento de arquivos, método que recupera arquivos em mídias de armazenamento. A ideia dos pesquisadores é alertar as pessoas sobre a necessidade de responsabilidade com os dados pessoais.

“Vejo duas lições importantes: primeiramente, temos que criar o hábito de usar criptografia sempre que formos armazenar uma informação em um dispositivo externo, pois ele pode ser perdido, roubado ou esquecido. Caso alguém consiga ter acesso ao equipamento, esta tecnologia garantirá a segurança dos dados”, disse Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.

Na maioria dos aparelhos, foi possível recuperar os dados. Imagem: Pixabay

Entre os dados acessíveis estavam coisas mais “simples”, como calendários e anotações de reuniões, até fotos e vídeos pessoais, documentos fiscais, informações bancárias, credenciais de login e dados médicos. “Apagar os dados ou formatar o disco não é o suficiente, pois qualquer pessoa com algum conhecimento da tecnologia poderá recuperar essas informações. É necessário realizar um wipe completo, com a sobregravação completa”, emendou Assolini.

A Kaspersky listou algumas dicas para quem pretende repassar um aparelho com segurança. Primeiro, é importante se certificar de que a área em que os arquivos são armazenados seja sobrescrita. Isso pode ser feito através de alguns programas.

É possível também usar a ferramenta de remoção de dados interna do Windows, o Cipher. Geralmente, ela é usada para criptografia, mas consegue excluir arquivos do disco rígido ou torná-los inutilizáveis. A própria Kaspersky oferece o Total Security, como fragmentador de arquivos, sobrescrevendo repetidamente dados selecionados, impossibilitando a recuperação.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!