Um dos pioneiros da viagem à Lua, o astronauta Michael Collins morreu nesta quarta-feira (28), aos 90 anos de idade. O ex-piloto que integrou a missão Apollo 11 até o satélite natural da Terra lutava contra um câncer, informou a família.

“Mike sempre enfrentou os desafios da vida com graça e humildade, e enfrentou esse, seu desafio final, do mesmo jeito. Nós vamos sentir muitas saudades dele. Ainda assim, nós sabemos quão sortudo Mike se sentia por ter vivido a vida que ele teve”, disse a família do astronauta, em comunicado.

publicidade

Leia mais:

Ainda em nota, a família de Michael Collins citou que ele passou os últimos dias em paz, junto aos parentes. “Por favor, se junte a nós para lembrar com carinho sua sagacidade, senso de propósito e perspectiva sábia, conquistadas ao olhar para a Terra do espaço e olhar através das águas calmas do deck de pesca dele”, completa.

A Nasa fez um especial em seu site sobre Collins. “Hoje a nação perde um verdadeiro pioneiro e longevo militante pela exploração, o astronauta Michael Collins. Como piloto da Apollo 11 no módulo de comando – alguns o chamam de ‘o homem mais solitário da história’ -, enquanto seus colegas andavam na Lua pela primeira vez, ele ajudou nossa nação a alcançar um marco histórico”, lamentou Steve Jurczyk, administrador da Nasa.

Michael Collins faleceu aos 91 anos de idade. Imagem: Arquivo pessoal

Michael Collins nasceu em Roma, na Itália, filho de um general do exército norte-americano. Ele passou parte da adolescência em Porto Rico, retornando aos Estados Unidos quando o país entrou na Segunda Guerra Mundial. Collins ingressou na Força Aérea em 1952 e serviu até 1982.

O piloto entrou na Nasa em 1963 e fez sua primeira missão no espaço em 1966, a Gemini X. “Michael sempre foi um promotor incansável do espaço. ‘Exploração não é uma escolha, é um imperativo’, ele dizia. Intensamente, sobre sua experiência em órbita, ele acrescentava: ‘O que vale registrar é o tipo de civilização que nós, terráqueos, criamos e se nos aventuramos ou não em outras partes da galáxia'”, relembrou Jurzyk.

No dia 16 de julho de 1969, Michael Collins partiu para o espaço na Missão Apollo 11. Junto a Neil Armstrong e Buzz Aldrin, ele levou três dias até chegar à Lua. Enquanto os dois colegas partiram no módulo lunar até a superfície do satélite, o piloto ficou sozinho no módulo de comando, sendo o único a não pisar no corpo celeste.

Mesmo em tantas voltas sozinho, o astronauta afirmou que nunca se sentiu solitário. Afinal, passou o tempo todo em contato com a base e com a tripulação. Michael Collins, nas duas missões, totalizou 266 horas no espaço.

Collins é o segundo astronauta do trio que foi à Lua em 1969 a falecer. Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar no satélite, morreu em 2012, aos 82 anos, após complicações de uma cirurgia de ponte de safena. Buzz Aldrin é o único ainda vivo. Em janeiro, ele completou 91 anos de idade.