Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID) do governo Biden, acredita não estar convencido de que o vírus causador da Covid-19 se desenvolveu naturalmente e pediu uma investigação aberta sobre suas origens.

Segundo Fauci, as origens do Sars-Cov-2 ainda não foram totalmente esclarecidas. “Acho que devemos continuar investigando o que aconteceu na China até que continuemos a descobrir o melhor que pudermos o que aconteceu”, afirmou o imunologista em declaração ao PolitiFact, veículo americano de verificação de fatos jornalísticos.

publicidade

“Certamente, as pessoas que investigaram dizem que provavelmente foi o surgimento de um reservatório animal que infectou os indivíduos, mas poderia ter sido outra coisa, e precisamos descobrir isso” complementou. 

Financiamento de pesquisa do laboratório de Wuhan pelos EUA

Quando questionado pelo senador Rand Paul, em audiência ocorrida no Senado na última terça-feira (18), se poderia ter acontecido passagem serial do vírus em laboratório, Fauci não descartou explicitamente essa possibilidade: “Não tenho nenhuma contabilidade do que os chineses podem ter feito e sou totalmente a favor de qualquer investigação posterior do que aconteceu na China”, disse ele. “No entanto, vou repetir novamente, o NIH [Instituto Nacional de Saúde – em tradução livre] e o NIAID categoricamente não financiaram a pesquisa de ganho de função a ser conduzida no Instituto de Virologia de Wuhan”.

Senador Rand Paul, do Partido Republicano, questionou Anthony Fauci se poderia ter acontecido passagem serial do Sars-Cov-2 em laboratório. Imagem: Official portrait, 2011

Essa declaração defensiva deve-se ao fato de que o senador republicano alegou que um financiamento do NIH foi canalizado para o laboratório chinês que, segundo ele, teria sido responsável pelo surto inicial de Covid-19. Paul se concentrou especificamente na pesquisa de ganho de função – que trabalha para tornar os patógenos mais mortais ou mais facilmente transmissíveis. Ele afirmou que um virologista americano que estava trabalhando com o instituto chinês nessa pesquisa disse que era os estudos estariam sendo financiados pelo NIH. 

Em resposta, Fauci disse que o senador estava “relacionando, de uma forma que é quase irresponsável, à pesquisa colaborativa do Sars-Cov-1, que surgiu na China no início dos anos 2000”.

Leia mais:

Republicanos e funcionários da administração de Donald Trump e republicanos em Hill há muito argumentam que há grandes chances da Covid-19 ter sido resultado de um vazamento de laboratório. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que essa teoria é “extremamente improvável”.

Mas, até mesmo Tedros Adhanom, diretor geral da OMS, reconhece que a avaliação da equipe de pesquisa sobre se o vírus entrou na população humana após um incidente de laboratório não foi “suficientemente extensa” e que requer uma investigação mais aprofundada.

O governo Biden ainda não se manifestou quanto a existência de evidências para refutar a teoria do vazamento de laboratório, mas sugere uma investigação independente. O secretário de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse que o governo comunicou publicamente que o governo chinês “não foi transparente desde o início”.

Até o ano passado, Fauci rejeitava ideia de vazamento de laboratório

As falas mais recentes de Fauci indicam uma mudança nas crenças do médico sobre as origens do coronavírus. Em maio de 2020, ele rejeitou categoricamente a teoria de vazamento de laboratório. “Se você olhar para a evolução do vírus em morcegos e o que está lá fora agora, [as evidências científicas] estão muito, muito fortemente inclinadas para isso, não poderia ter sido artificial ou deliberadamente manipulado”, disse à National Geographic, na época. 

“Tudo sobre a evolução gradual ao longo do tempo indica fortemente que [este vírus] evoluiu na natureza”, afirmava. Na época, ele disse à revista que evidências científicas descartavam a teoria do vazamento de laboratório.