Esta segunda-feira (14) marca o encerramento das operações do aplicativo de transporte Cabify no Brasil. A startup espanhola havia anunciado no final de abril que deixaria o mercado brasileiro no final da primeira quinzena de junho. A decisão foi motivada por uma série de fatores, sendo que a principal razão, de acordo com eles, foi a pandemia da Covid-19, que diminuiu significativamente o número de corridas e, consequentemente, a rentabilidade da companhia.

Na madrugada desta segunda-feira, os clientes receberam um e-mail da empresa, descrito como o último que seria enviado. Na mensagem, o Cabify agradeceu nominalmente a alguns de seus motoristas parceiros, a quem descreveu como detentores de “talento e esforço” que foram utilizados para transportar milhares de passageiros de forma segura.

publicidade

Leia mais:

A companhia também agradeceu aos passageiros e ressaltou que o serviço continuará operante em outras cidades da América Latina, em países como Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru e Uruguai. Além, é claro, de sua terra natal, a Espanha.

Passagem rápida

Cabify não conseguiu rivalizar com empresas já consolidadas no mercado de caronas compartilhadas no Brasil. Crédito: Instagram/Reprodução

Desde que chegou ao Brasil em 2016, o Cabify viu um mercado bem competitivo no segmento de transportes, rivalizando com empresas que haviam desembarcado por aqui antes, como a Uber, que chegou pouco antes da Copa do Mundo de 2014, e a brasileira 99, que começou como um aplicativo de táxis, mas expandiu seus serviços para caronas compartilhadas algum tempo depois.

No entanto, a startup espanhola sempre manteve o posicionamento de ser um serviço “premium” em relação aos seus concorrentes. A saída da empresa limita as opções de serviços de transporte nas cidades de Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Santos e São Paulo, regiões que eram atendidas pelo app.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!