A gigante de e-commerce Mercado Livre anunciou, na última segunda-feira (14), o início das operações de entregas para pedidos feitos no mesmo dia na região da Grande São Paulo e nas regiões metropolitanas de Florianópolis (SC) e Salvador (BA). O modelo já era testado em algumas localidades da capital paulista desde 2019.

De acordo com o Mercado Livre, o serviço contemplará apenas produtos elegíveis na plataforma e cujos preços forem iguais ou superiores a R$ 79. Caso os pedidos sejam confirmados até às 11h da manhã, a varejista se compromete a entregar os produtos — inclusive aos sábados — até o fim do dia.

publicidade

A previsão é de que o serviço de entrega no mesmo dia envolva, inicialmente, cerca de 10 milhões de produtos. Embora o modelo esteja restrito às três localidades, o negócio deve ser expandido para outras regiões já nas próximas semanas.

“Nossa expectativa é que até julho mais de 20% dos CEPs de compradores de todo o Brasil sejam atendidos com entregas neste formato”, destacou Luis Perera, diretor de Transportes do Mercado Envios no Brasil.

E para suportar essa “nova” categoria de entregas, o Mercado Livre vai reforçar sua frota logística: serão mais de 600 vans que vão auxiliar na etapa final da compra, conhecida como última milha.

Logo do Mercado Livre exibido em smartphone
Modalidade estará disponíveis para alguns produtos na plataforma do Mercado Livre. Foto: Alison Nunes Calazans/Shutterstock

Leia mais:

Tendência

O serviço do Mercado Livre é anunciado três meses após a gigante divulgar um plano de investimento de R$ 10 bilhões no Brasil em 2021, o que deve otimizar sua cadeia logística e diminuir ainda mais os prazos de entrega.

O mesmo tem sido feito pelas suas rivais. A Amazon anunciou o mesmo formato em abril deste ano e a Americanas, outra dominante do setor, também conta com um serviço parecido. E a tendência deve ser seguida pelos outros players do setor.

Isso porque a pandemia de coronavírus intensificou as compras online. Não à toa, o tamanho do comércio eletrônico no Brasil quase duplicou durante o período: o salto, de abril de 2019 até o mesmo mês de 2020, foi de 98%.

Com isso, a concorrência torna-se cada vez mais acirrada no setor. E com tantas opções disponíveis, quem prometer uma entrega mais rápida que as demais deve largar na frente.

Fonte: Exame

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!