O home office para os funcionários da gigante Apple está com os dias contados. Segundo um vídeo interno da empresa obtido pelo jornal americano The Verge, a big tech mantém a aposta em um regime híbrido e vai exigir o retorno aos escritórios a partir de setembro. As ocupações de trabalho remoto serão casos de exceção.

“Acreditamos que a colaboração presencial é essencial para nossa cultura e nosso futuro”, afirmou Deirdre O’Brien, vice-presidente sênior de Varejo e Pessoas da Apple, em vídeo gravado. 

publicidade

“Se pararmos um momento para refletir sobre nossos lançamentos de produtos inacreditáveis ​​no ano passado, os produtos e a execução de lançamentos foram construídos sobre a base de anos de trabalho que fizemos quando estávamos todos juntos, pessoalmente”, completou o executivo.

As declarações reforçam o projeto anunciado há cerca de um mês pelo CEO da companhia, Tim Cook. No início de junho, Cook enviou um e-mail para seus funcionários para informar o lançamento de um novo modelo híbrido de trabalho, após o controle pandêmico no país, que exigirá atividades presenciais nos escritórios às segundas, terças e quintas-feiras.

Escritório da Apple
Mesmo em home office durante quase o ano passado inteiro, 2020 foi o melhor ano de inovação da Apple, de acordo Tim Cook. Foto: Barbara Ash/Shutterstock

Nas quartas e nas sextas-feiras, os funcionários da Apple poderão optar pelo trabalho remoto, mas determinadas equipes terão de “bater o ponto” presencialmente de quatro a cinco dias por semana.

Além do modelo flexível, foram oferecidas duas semanas por ano para que os colaboradores possam fazer home office de quaisquer lugar que quiserem. O comunicado afirmou ainda que o projeto será um piloto e deverá ser reavaliado no ano que vem.

Leia mais:

Balde de água fria

O problema é que o projeto de trabalho híbrido anunciado pela Apple não foi amplamente aceito pelos funcionários. Tanto que, semanas depois, eles enviaram uma carta ao CEO da empresa da maçã solicitando que o home office continuasse a ser uma opção.

“Sem a inclusão que a flexibilidade traz, muitos de nós sentimos que temos que escolher entre uma combinação de nossas famílias, nosso bem-estar e ter o controle de fazermos o nosso melhor ou fazer parte da Apple”, disse um trecho da carta.

Mas ao que tudo indica, a big tech não vai voltar atrás da implementação de seu modelo híbrido e afirmou que qualquer decisão envolvendo trabalho remoto será feita “caso a caso, com quaisquer novos cargos remotos exigindo aprovação executiva”.

Fonte: The Verge

 Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!