Em participação virtual no Mobile World Congress 2021 (MWC) de Barcelona, ​​o CEO da SpaceX, Elon Musk, disse que a empresa definiu metas ambiciosas de reutilização de foguetes Falcon: alguns deles já estão “preparados para voar 20 ou possivelmente 30 vezes”.

Essa afirmativa acontece menos de dois meses depois da décima viagem do booster B1051, que enviou 60 satélites ao espaço, tornando-se o primeiro estágio do Falcon 9 a realizar dez lançamentos e pousos de classe orbital.

publicidade

Cinco anos e meio depois do primeiro pouso de bem-sucedido de um Falcon 9, quatro anos depois da primeira reutilização bem-sucedida da SpaceX e sete semanas após esse marco de dez voos do primeiro estágio do Falcon 9, Elon Musk afirma que alguns dos foguetes da empresa poderão voar entre 20 e 30 vezes. 

Foguete Falcon 9 da SpaceX domina lançamentos orbitais globais em 2021

Musk sempre deixou bem claro que era intenção da SpaceX lançar foguetes Falcon 9 até 10 vezes sem reforma. Embora a empresa tenha abandonado os planos de recuperar e reutilizar o estágio superior do Falcon 9 para priorizar o desenvolvimento da Starship, o sonho de Musk de cortar o custo de lançamento em uma ordem de magnitude quase foi realizado.

SpaceX Falcon 9 no Complexo de Lançamento do Cabo Canaveral 40.
Imagem: WKMG TV 2021

Tecnicamente, se a SpaceX tivesse desenvolvido um estágio superior reutilizável, o Falcon 9 como está hoje poderia custar apenas 10% de seu preço de tabela, ou seja, US$ 6 milhões. Incluindo o custo de um novo estágio superior dispensável para cada missão, o custo real de um lançamento de um Falcon 9 reutilizado e carenagem de carga útil está perto de  US$ 18 milhões. 

Ainda em sua participação no MWC, Musk confirmou que o custo das operações do Falcon 9 – reforma, recuperação, consumíveis e qualquer outro trabalho recorrente – é apenas 10% do custo de lançamento, efetivamente reiterando que o Falcon 9 Block 5 realmente é um foguete que praticamente não requer reforma.

Leia mais:

Em teleconferência realizada em 2018, Musk ressaltou que, além dos planos de até dez voos sem reforma, os boosters Falcon poderiam voar até mais de 100 vezes com manutenção profunda ocasional – não muito diferente das aeronaves modernas. 

É possível que a SpaceX tenha descoberto que os Falcon 9 Block 5 – que precisam de uma pequena quantidade de reforma e inspeção após cada lançamento – podem realmente voar 20 ou 30 vezes sem grande retrabalho. No final das contas, só o tempo dirá, mas o 11º vôo do Falcon 9 B1051 é esperado – desta vez partindo da costa oeste – já no fim de julho ou agosto de 2021, levando o primeiro ou segundo lote dedicado de satélites polares Starlink da SpaceX. 

Fonte: Teslarati

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!