A ambição de Elon Musk de expandir a Tesla nem sempre encontra as facilidades que bilionários como ele encontram em território norte-americano. A fábrica da montadora em Berlim, capital da Alemanha, está com, pelo menos, seis meses de atraso, por problemas com os procedimentos do país e questões ambientais.

A planta em Berlim, que custou US$ 7 bilhões, tem uma saída para uma autobahn, autoestrada alemã, e é cercada por uma floreste de pinheiros. A expectativa de Musk é que os carros elétricos já estivessem em produção no local para abastecer o mercado europeu.

publicidade

Leia mais:

Políticos locais apoiam a linha de montagem na região, mas, de acordo com o jornal The New York Times, a fábrica foi retida por entreveros legais por parte de grupos ambientais. Há também um atraso no processo de aprovação por agências regionais e nacionais, além de revisões do plano da montadora.

A Tesla precisa encontrar novos lares para uma espécie de lagarto que habita a região, além de cobras que se alimentam desses bichos. Os animais, de corpo verde e cinza brilhante, têm cerca de 25 centímetros. Grupos de proteção da natureza destacam que as duas criaturas são consideradas ameaçadas.

Como votar no Olhar Digital no segundo turno do Prêmio Influency.me

Segundo eles, é preciso primeiro remover os lagartos, para que eles se ajustem aos novos habitats. Assim, quando as cobras chegarem, as presas terão chances de lutar e sobreviver diante dos predadores. Os grupos de ambientalistas até tentaram processar a Tesla, mas eles afirmam estar cientes de que não conseguirão interromper o processo. Eles esperam, então, reduzir os problemas. Até agora, já conseguiram diminuir o número de árvores que a empresa tem permissão de cortar.

Outra situação que o bilionário sul-africano radicado nos Estados Unidos precisa lidar são os sindicatos. Nos EUA, é comum empresas proibirem funcionários de se sindicalizarem. Na Alemanha, os trabalhadores contam com leis a seu favor.

Interior da gigafábrica da Tesla em Berlim. Imagem: Tesla Q4 2020 Report/Divulgação
Interior da gigafábrica da Tesla em Berlim. Imagem: Tesla Q4 2020 Report/Divulgação

Ainda houve atrasos por culpa da própria montadora. A Tesla revisou o pedido de construção pelo menos 15 vezes, de acordo com o NYT. Isso acarretou a necessidade de novas aprovações.

Por sua vez, os líderes políticos da região, que fazia parte da Alemanha Oriental antes da queda do Muro de Berlim, em 1989, apoiam a construção da fábrica. Eles enxergam a geração de cerca de 10 mil postos de emprego, com outros adicionais através de fornecedores e varejistas.

Elon Musk, CEO da companhia, pretende produzir 500 mil veículos por ano na planta da Tesla em Berlim. Mas, na Europa, ele ainda terá a concorrência da Volkswagen, Mercedes-Benz e Renault, que expandem suas próprias linhas de carros elétricos.

Via: The New York Times

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!