Pesquisadores de diferentes institutos de pesquisa do estado do Texas, nos Estados Unidos, estão fazendo descobertas importantes em relação à diabetes tipo 2. Os cientistas acompanharam alguns voluntários por até 15 anos para investigar os efeitos da doença em suas vidas, o que permitiu que eles descobrissem que a diabetes tipo 2 pode ser mais perigosa para os jovens.

Os resultados dos estudos foram publicados no renomado New England Journal of Medicine, e mostraram que dentro de um período de 15 anos de um diagnóstico de diabetes tipo 2, 60% dos participantes tiveram pelo menos uma complicação relacionada à doença, e pouco mais de 30% teve duas ou mais complicações relacionadas ao diabetes.

publicidade

Pior em jovens

“Através deste estudo, nós percebemos que o diabetes tipo 2 em jovens é muito mais agressivo do que o tipo de diabetes que vemos em seus avós”, disse a professora de endocrinologia pediátrica do Centro de Ciências da Saúde de San Antonio, da Universidade do Texas, Maria Rayas. Isso é uma confirmação sobre quão graves e rápidas podem ser as complicações da doença.

“As descobertas são realmente surpreendentes, pensar que alguém na casa dos 20 anos já está lutando contra uma doença renal ou ocular ou outra complicação do diabetes”, declarou Rayas. Para a pesquisadora, uma hipótese para isso é a falta de medicamentos aprovados pelos órgãos reguladores para menores de 18 anos diagnosticados com diabetes tipo 2.

“Precisamos expandir as opções de tratamento e explorar medicamentos que usamos amplamente para adultos com diabetes tipo 2 para ver se eles são seguros e eficazes para crianças“, disse a médica. A esperança da equipe de pesquisadores é conseguir explorar o potencial dos medicamentos já usados em adultos em crianças e adolescentes.

Sobrepeso, obesidade e sedentarismo

Criança comendo hambúrguer e fritas
Além de diabetes tipo 2, os participantes do estudo também apresentavam sobrepeso ou obesidade. Crédito: iStock

Além da falta de medicamentos aprovados para crianças e adolescentes, os resultados da pesquisa também mostraram que a população do estudo tinha menos acesso a estilos de vida mais saudáveis, alimentação de qualidade e possibilidade de se consultarem de maneira periódica com profissionais de saúde.

No início do estudo, os participantes tinham entre 10 e 17 anos, eram diagnosticados com diabetes tipo 2 em um intervalo de dois anos e apresentavam sobrepeso ou obesidade. Atualmente, a média de idade é de 26 anos e os dados são bastante preocupantes. Hoje, mais da metade dos voluntários apresentam pressão alta, altos níveis de gordura no sangue, doenças renais e oculares.

Leia mais:

Um terço dos participantes ainda apresentava doenças que envolvem o sistema nervoso. Apesar de os dados serem referentes ao sul do estado do Texas, podem ser extrapolados para uma parcela mais representativa de jovens dos EUA e até de outros países com características socioeconômicas parecidas. 

Com informações do Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!