Seguindo o exemplo da Apple, também seguido por Samsung e Huawei, o Google vai deixar de fora o carregador da caixa dos seus novos smartphones Pixel 6 e Pixel 6 Pro, que serão lançados em breve. Assim, o Pixel 5a, que entrou em pré-venda hoje, será o último smartphone da empresa que virá acompanhado por esse acessório tão útil e necessário.

A confirmação foi feita por um representante da empresa ao The Verge, que repetiu o discurso oficial da Apple, depois também replicado pela Samsung, dizendo que a maioria das pessoas já contam com um carregador USB-C em casa, então não é mais necessário incluir o acessório com seus smartphones.

publicidade

Não incluir o carregador pode ser um bom negócio

Será que os investimentos no processador próprio Tensor, usado nos novos smartphones, foram altos demais? Não, definitivamente dinheiro não é um problema para o Google, mas é difícil encontrar outra motivação. Além do que as empresas economizam ao não enviar o carregador, ainda é preciso lembrar que elas ganham se venderem para os consumidores que não tiverem o seu. Lá fora, eles custam US$ 60 na versão de 45W e US$ 35 na de 18W, ambas acompanhadas pelo cabo USB-C, que deve continuar sendo vendido na caixa do Pixel 6, mas um bom cabo nunca é demais.

Leia mais:

De qualquer forma, o motivo oficial geralmente alegado para retirada do carregador das caixas é preservar o meio-ambiente, mas a Xiaomi diz que consegue reduzir 60% do plástico em suas caixas, sem precisar tirar o acessório.

No Brasil, decisão tem sido muito criticada

O Google não terá esse problema, já que não comercializa seus smartphones no Brasil, mas por aqui, a decisão de tirar o carregador das caixas não foi nada bem recebida pelo mercado. Existe um projeto brasileiro que quer obrigar as fabricantes a incluírem o carregador com os aparelhos. A Apple e Samsung, inclusive, receberam um ultimato para voltarem a vender seus celulares com carregador na caixa.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!