Segurança e Privacidade

Falsos aplicativos de mineração de criptomoedas infectaram mais de 100.000 celulares Android

20/08/21 20h24

Aplicativos falsos de mineração de criptomoedas foram identificados na loja de aplicativos do Android, a Play Store, sendo usados para espalhar malwares. Os apps fraudulentos se concentram principalmente na entrega de serviços de assinatura que são caros por um valor menor. Os alvos eram, principalmente, pessoas novas neste mercado, que não conhecem muito bem os meandros dos ativos criptográficos.

Os aplicativos foram projetados para fazer com que as pessoas pensassem que estavam investindo em operações de mineração em nuvem. Porém, os aplicativos não realizavam nenhuma atividade de mineração real, mas atividades de mineração simulada usando um módulo local, algo que estava claramente especificado nos Termos de Uso de parte deles.

Alguns desses aplicativos continham diferentes tipos de malwares, como o como o FakeMinerAd e o FakeMinerPay. Após a descoberta, vários aplicativos falsos de mineração de criptomoedas foram banidos da Google Play Store.

Confira abaixo quais aplicativos foram removidos da loja do Android:

  • Ethereum (ETH) – Pool Mining Cloud
  • Bitcoin 2021
  • MineBit Pro – BTC Miner & Crypto Cloud Mining
  • Crypto Holic – Bitcoin Cloud Mining
  • Daily Bitcoin Rewards – Cloud Based Mining System
  • Bitcoin (BTC) – Pool Mining Cloud Wallet
  • BitFunds – Crypto Cloud Mining
  • Bitcoin Miner – Cloud Mining

Pode ser tarde demais

Banimento dos aplicativos pode ter acontecido tarde demais. Imagem: Jirsak – shutterstock

Apesar do banimento dos aplicativos, o estrago por já estar feito e ser bem grande, já que o volume de downloads de cada um desses aplicativos foi bastante relevante. Por exemplo, o aplicativo BitFunds foi baixado mais de 100.000 vezes e outros, como o Daily Bitcoin Rewards e o Crypto Holic sequer são gratuitos e custam respectivamente US$ 5,99 (R$ 32,23) e US$ 12,99 (R$ 69,89).

E mesmo que o Google tenha removido oito aplicativos, uma busca por “mineração em nuvem” na Play Store revela uma série de aplicativos maliciosos do mesmo tipo dos que foram banidos. Alguns, inclusive, solicitam recursos dos usuários para financiamento de supostos recursos avançados para mineração de criptomoedas, que variam entre US$ 14,99 (R$ 80,65) e US$ 189,99 (R$ 1.022,23).

Como evitar apps falsos de mineração

Para não cair em golpes de aplicativos falsos de mineração de criptomoedas, o portal especializado em ativos criptográficos Trend Micro recomenda que se verifique se as avaliações nos aplicativos parecem reais. Aplicativos falsos costumam receber boas avaliações, mas também existem as classificações de 1 estrela, que tendem a ter denúncias sobre as fraudes.

Leia mais:

Além disso, é importante procurar o endereço da carteira criptográfica e verificar se é ou não uma carteira real e válida com aquele endereço. No geral, aplicativos legítimos têm taxas de retirada, ou seja, se não houver nenhum tipo de cobrança, é um sinal de que o aplicativo pode ser falso. Outra dica é reiniciar o smartphone durante a mineração. Se o contador de moedas mineradas zerar, o app é falso.

Via: Softpedia

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Sugeridos pra você
Tags