Meses após a última emissão, a SpaceX volta a lançar um pacote completo de satélites de banda larga Starlink. O evento, que será transmitido online pelo site da empresa de Elon Musk, acontece nesta madrugada.

SpaceX Starlink satellite
Um carregamento com satélites da Starlink decola nesta madrugada a bordo de um foguete Falcon 9 da SpaceX. Imagem: AleksandrMorrisovic – Shutterstock

A empresa de voos espaciais lançará uma pilha completa de 60 satélites Starlink em um de seus líderes de frota, um veterano Falcon 9, apelidado de B1049. O voo está programado para decolar do Complexo de Lançamento Espacial 4 na Estação da Força Espacial de Vandenberg, na Califórnia, às 23:55 EDT (00h55 de terça-feira, pelo horário de Brasília).

publicidade

Quem quiser acompanhar o lançamento, pode acessar o site da SpaceX ou o canal da empresa no YouTube. Lembrando que a transmissão começará com 15 minutos de antecedência.

Conforme o Olhar Digital noticiou, a SpaceX cumpriu a promessa de melhorar a conexão da Starlink com lasers. Por essa razão, houve uma pausa no lançamento de novos satélites da plataforma de internet.

Segundo a SpaceX, durante esse tempo, a empresa equipou os equipamentos com crosslinks de laser que permitem que os satélites Starlink se comuniquem entre si, reduzindo a dependência da Terra.

De acordo com o site Space, a missão, chamada Starlink 29, é o primeiro voo Starlink operacional da empresa a partir de sua instalação de lançamento na Costa Oeste e elevará o número total de satélites de banda larga SpaceX lançados para 1.797. 

Preparado para fazer seu décimo voo, o B1049, foguete que fará o levantamento, é um dos membros mais antigos da frota da SpaceX.  As cargas anteriores do foguete incluíam sete outras pilhas Starlink, um satélite de comunicações canadense e uma pilha de 10 satélites de telecomunicações Iridium NEXT. 

O voo desta madrugada marcará a segunda vez que um dos boosters de primeiro estágio da SpaceX alcançou 10 voos. O primeiro foguete a atingir esse marco foi o booster B1051, quando carregou uma pilha diferente de satélites Starlink em órbita em 9 de maio, em um voo que entrou para a história da empresa.

Chamada de Bloco 5, a versão atual do Falcon 9, que voará hoje, estreou em 2018 e ajudou a SpaceX a inaugurar uma era de rápida reutilização. O Bloco 5 possui uma série de atualizações, incluindo um sistema de proteção térmica mais robusto, aletas de grade de titânio e um interstage mais durável (a parte do foguete que conecta o primeiro ao segundo estágio). 

Quando o Block 5 estreou, a SpaceX anunciou que cada um desses foguetes seria capaz de voar pelo menos 10 vezes, com poucas renovações entre eles. À medida que a empresa recuperava mais foguetes e refinava seu processamento pós-voo, foi percebendo que 10 voos era mais uma diretriz do que um limite rígido, e que um número considerável de boosters pode superar esse marco. 

Ao voar um segundo foguete 10 vezes, a SpaceX terá ainda mais dados sobre o Falcon 9 e como ele se mantém em vários voos para refinar melhor os esforços de recuperação de reforço. 

Leia mais:

Para garantir que o B1049 esteja pronto para seu voo histórico desta noite, a SpaceX rolou o foguete para a plataforma há duas semanas, em 2 de setembro, e ligou os nove motores Merlin 1D do Falcon como parte de um teste de pré-lançamento. 

O foguete foi mantido pressionado no bloco enquanto seus motores ligavam brevemente, permitindo que os engenheiros garantissem que o propulsor estava funcionando corretamente. 

O teste de fogo estático é uma parte comum dos procedimentos de pré-lançamento da SpaceX. No entanto, a empresa pulou essa etapa em mais da metade dos foguetes Falcon 9 lançados até agora neste ano.

Isso pode ser porque a maioria dos foguetes lançados até agora neste ano já voou várias vezes. Também pode ser porque a SpaceX está tentando manter um ritmo de lançamento rápido, e ter que fazer um teste de fogo estático antes de cada um pode comprometer o cronograma. 

A SpaceX planeja pousar o B1049 no convés de um de seus enormes navios drones, chamado “Claro que ainda te amo”, que a empresa mudou para a Costa Oeste recentemente. A plataforma estava anteriormente estacionada na Flórida, onde capturou a maioria dos propulsores de retorno da SpaceX. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!