Após o retorno da missão espacial Shenzhou-12 à Terra, no último dia 17, a China realizou uma cerimônia nesta segunda-feira (28) para abrir a cápsula da espaçonave, que continha amostras de experimentos realizados na estação espacial de Tiangong.

Segundo a Xinhua, agência estatal chinesa de comunicação, entre os presentes estavam Hao Chun, diretor da agência espacial tripulada da China, e o primeiro astronauta do país, Yang Liwei, que entregaram os itens retirados da cápsula a alguns representantes e autoridades do país.

publicidade
O primeiro astronauta da China, Yang Liwei, entrega os itens retirados da cápsula a um representante da China Post Group Corp, durante a cerimônia de abertura da cápsula de retorno da espaçonave Shenzhou-12. Imagem: China News Service / Zhao Jun

Hao disse que a missão tripulada Shenzhou-12 incluiu mais de 10 projetos, como cultivo em órbita e experimentos espaciais biológicos. “A China sempre atribuiu importância ao desenvolvimento de projetos internacionais e à contribuição para a economia nacional e a subsistência das pessoas, desde o estabelecimento do projeto espacial tripulado do país”, declarou.

Durante toda a missão, que durou 90 dias, os taikonautas Nie Haisheng, Liu Boming e Tang Hongbo executaram diversas atividades, desde posicionar e ajustar o primeiro módulo da estação espacial Tiangong, onde ficaram instalados, até os mais variados experimentos científicos e tecnológicos. 

Leia mais:

Tripulação da Shenzhou-12 não esteve presente à cerimônia de abertura da cápsula

Embora estejam em boas condições de saúde, os três membros da tripulação precisam passar por uma quarentena de 14 dias, devido ao fato de que “seus sistemas imunológicos podem estar enfraquecidos após a longa missão”. Por essa razão, eles não estiveram presentes à cerimônia, já que estarão liberados do resguardo apenas a partir desta quinta-feira (30).

O módulo Tianhe terá a companhia dos seus “irmãos”: os laboratórios de pesquisa Wentian e Mengtian, bem como diversas estruturas para armazenar painéis solares e portas de acoplagem e desembarque, até 2022,  estabelecendo uma base sólida para a construção e operação da estação espacial da China.

Quando estiver completa, a estação espacial Tiangong deve pesar em torno de 80 a 100 toneladas (um quinto do que tem a Estação Espacial Internacional – ISS). Importante lembrar que ela compartilhará sua órbita com o telescópio espacial Xuntian, que a China pretende lançar em 2024.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!