Enquanto as mortes por coronavírus despencam no Brasil, alguns países da Europa voltam a sofrer com a doença. A Rússia estabeleceu um novo recorde com 1.195 óbitos em 24 horas nesta quinta-feira (4), o maior número desde o começo da pandemia da Covid-19.

O recorde anterior também foi batido esta semana, com 1.189 mortes registradas na quarta-feira (4). Desde o final de setembro, o país obteve novos picos em infecções ou mortes quase que diariamente.

publicidade

A Rússia é um dos países da Europa com uma das menores taxas de vacinados contra a Covid-19, menos de 35% dos quase 146 milhões de habitantes foram totalmente imunizados contra a doença. Desde o começo da pandemia, o país acumula mais de 240 mil mortes.

Covid-19 e isolamento na Rússia

Para conter o avanço da doença, o governo decretou que toda a população (com exceção de serviços essenciais) não atuasse presencialmente em seus locais de trabalho entre os dias 30 de outubro e 7 de novembro. O prazo pode ser prorrogado em algumas regiões.

Leia mais:

Na capital Moscou e regiões vizinhas, que correspondem a quase 25% dos novos casos de Covid-19 na Rússia, os governos locais já informaram que o período de isolamento vai ser estendido para além do dia 7.

Nesta quinta-feira (4) a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse ver com “grande preocupação” o crescimento dos casos no continente. O diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge, afirmou em coletiva que “estamos, mais uma vez, no epicentro”. Ele ainda destaca que com o ritmo atual podemos ter “outro meio milhão de mortes de Covid-19” em fevereiro.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!