Dados de menores de 18 anos são coletados pelo Facebook e pelo Instagram através de um programa que mapeia a navegação dos usuários. Isso foi concluído em uma pesquisa feita usando vários tipos de propagandas e perfis.

A Meta (na época Facebook) anunciou em julho que estava mudando seu sistema de direcionamento de anúncios e iria permitir que usuários menores de idade recebessem propagandas apenas por meio de três categorias de classificação: idade, sexo e localização. Dessa forma, dados de navegação não seriam mais coletados. No entanto, a nova pesquisa indica que essas informações ainda são armazenadas.

publicidade

O estudo foi feito pelo grupo ambientalista Global Action Plan. Os pesquisadores criaram três contas falsas para um garoto de 13 anos e dois para um de 16 e visualizaram os dados coletados pelo pelo software da empresa no Facebook, Instagram e Messenger, conforme as contas fakes os visitavam sites como jornais locais e lojas de roupas.

Anúncios para menores de 18 anos no Facebook

“O Facebook pode coletar dados de outras guias e páginas do navegador que as crianças abrem e coletar informações como os botões em que clicam, os termos que pesquisam ou os produtos que compram ou colocam no carrinho. Não há razão para armazenar esse tipo de dados de conversão, exceto para abastecer o sistema de entrega de anúncios”, dizem os resultados.

A empresa nega que esses dados sejam usados no algoritmo de anúncios para menores de 18 anos. “É errado dizer que, porque mostramos dados em nossas ferramentas de transparência, eles são usados ​​automaticamente para anúncios. Não usamos dados de sites e aplicativos de nossos anunciantes e parceiros para personalizar anúncios para menores de 18 anos, disse Joe Osborne, porta-voz da Meta.

“O motivo pelo qual essas informações aparecem em nossas ferramentas de transparência é porque os adolescentes visitam sites ou aplicativos que usam nossas ferramentas de negócios. Queremos fornecer transparência aos dados que recebemos, mesmo que não sejam usados ​​para personalização de anúncios”, completou.

Leia mais:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!