Com novos desafios em 2021, a Black Friday deste ano ficou abaixo das expectativas dos especialistas. Conforme um levantamento da Neotrust, produzido a partir do total de compras via e-commerce de quinta-feira até às 23h59 de sexta-feira, o faturamento total do varejo foi de R$ 5,4 bilhões — considerando apenas as compras de sexta (26), o montante foi de cerca de R$ 4 bilhões, 4,5% acima de 2020.

Apesar de representar um salto de 5,8% frente ao ano anterior, a expectativa era de um crescimento maior, de 6% a 10%. Em pedidos, a edição deste ano encerrou com um volume de 7,6 milhões, 0,5% a menos que o ano passado. Já o tíquete médio das compras ficou em R$ 711,38.

publicidade
Black Friday: varejo faturou menos que o esperado em 2021
Varejo faturou menos que o esperado na Black Friday deste ano. Imagem: Kriang kan/Shutterstock

Segundo a pesquisa, os brasileiros também aproveitaram o evento para comprar itens básicos, como alimentos e bebidas, nicho em que a alta no número de pedidos em relação ao ano passado foi de 38,9%.

Essa tendência nesse setor, que não costumava ter grande destaque nos anos anteriores, é um sinal de que o brasileiro aproveitou a Black Friday para procurar ofertas em produtos que ficaram mais caros com a inflação.

Os eletrônicos, por sua vez, geralmente o segmento em destaque no evento, ficaram um pouco de lado.

Resultado já era esperado

Para Julio Pacheco, diretor de comunicação do T.Group, o faturamento abaixo da média já era aguardado. Até o meio do ano, a projeção inicial era de um aumento na casa de 16%, entretanto, à medida que a economia deu sinais de desgaste no país, essa estimativa foi cortada para a casa de 6% a 10%.

“Já sabíamos que não atingiríamos o esperado. A insegurança por causa do cenário econômico, a inflação e o endividamento devem ser levados em conta”, disse.

Por fim, vale ressaltar que, segundo a Neotrust, o pico de vendas ocorreu entre 10:00 e 14:00 de sexta-feira.

Veja também

Cartão e PIX foram as modalidades de pagamento mais utilizadas na Black Friday

Conforme o levantamento, o cartão de crédito respondeu por 81% das compras na Black Friday, um salto de 6% se comparado a data de 2020. O boleto ficou com 10%. 

O PIX, por sua vez, que completou um ano de operação este mês, foi responsável por 2% das compras. Entretanto, nesse caso específico, existe uma explicação para o número baixo. Como a Black Friday é realizada no fim do mês, período em que a maioria dos consumidores brasileiros já está com o orçamento apertado, sobra pouco dinheiro disponível para gastos. O que também explica a preferência pelo uso do cartão de crédito.

PIX Saque e PIX Troco já estão disponíveis a partir desta segunda-feira (29)

Com informações do portal O Globo.

Imagem principal: Paper Wings/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!