O Reino Unido registrou nesta quarta-feira (15) o maior número de casos diários de Covid-19 desde o começo da pandemia. Impulsionado pela variante Ômicron, o país teve 78.610  registros de diagnósticos positivos da doença.

O recorde até então era o dia 8 de janeiro deste ano, quando o país teve 68.052 casos, no auge da terceira onda da Covid-19. O primeiro-ministro, Boris Johnson, fez um apelo para que a população continue recebendo as doses de reforço para tentar frear a nova cepa. 

publicidade

Nos últimos dias, o Reino Unido voltou a exigir o uso de máscara em ambientes internos e reforçou a obrigatoriedade do passaporte da vacina. Entre terça e quarta foi registrado um aumento de quase 20 mil novos casos. 

Sajid Javid, secretário de saúde, não detalhou se o país pretende adotar novas medidas para conter o aumento de casos de Covid-19, mas destacou que as atuais estão corretas. Além disso, ele explicou que na capital, Londres, cerca de 60% dos novos casos são da variante Ômicron, o que mostra o alto grau de contágio da nova cepa.

Aumento de casos de Covid-19 no Reino Unido

Javid ainda disse que a situação está sendo monitorada para que a cepa seja controlada em solo britânico. “Nós mantemos toda a situação sob revisão. Está se movendo rapidamente, acho que as pessoas entendem isso”.

Recentemente, o Reino Unido registrou a primeira morte no mundo pela variante Ômicron. Ainda não é possível prever como a cepa progride para casos graves e se as novas infecções vão resultar em um aumento significativo das mortes por Covid-19.

“E temo que agora esteja claro que duas doses da vacina simplesmente não são suficientes para dar o nível de proteção de que todos precisamos”, alertou Boris Johnson. “A boa notícia é que nossos cientistas estão confiantes de que com uma terceira dose – uma dose de reforço – todos podemos aumentar nosso nível de proteção”, completou.

Leia mais:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!