Uma nova pesquisa demonstrou que pessoas com doença inflamatória intestinal (DII) tendem a ter uma quantidade maior de resíduos de microplásticos dentro de seus intestinos. Segundo os pesquisadores, isso pode ser um demonstrativo de que esses fragmentos podem estar relacionados ao processo da doença.

Doença inflamatória intestinal é um termo genérico para as mais diversas inflamações no intestino, que incluem algumas condições graves, como a doença de Crohn e a colite ulcerosa. As DIIs são caracterizadas por inflamações crônicas no trato digestivo e podem ser agravadas pela dieta ou fatores ambientais.

publicidade

Inflamações intestinais com microplásticos

Em testes com modelos animais, os microplásticos podem causar inflamações no intestino, além de distúrbios no microbioma intestinal. Com isso em mente, uma equipe de pesquisa resolveu testar se elas também poderiam contribuir para as DIIs.

Para isso, os pesquisadores precisaram comparar os níveis de microplásticos nas fezes de indivíduos saudáveis e de outros com doença inflamatória intestinal com diferentes graus de gravidade. Ao todo, foram analisadas amostras fecais de 102 pessoas de diferentes lugares da China.

Leia mais:

Os resultados das análises mostraram que as fezes dos pacientes com DIIs tinham pelo menos 1,5 vezes mais partículas de microplásticos em cada grama do que os indivíduos saudáveis. Estes microplásticos tinham formas semelhantes, sendo as principais delas as folhas e as fibras, nos dois grupos.

Mais partículas, porém menores

As fezes dos pacientes com doença inflamatória intestinal tinham partículas menores. Nos dois grupos, foram encontradas muitas partículas de tereftalato de polietileno (PET), que é o mais usado na produção de garrafas e recipientes para armazenamento de alimentos.

Além do PET, também foram encontradas muitas partículas de poliamida, que também é encontrado em embalagens de alimentos e em produtos da indústria têxtil. Quanto maiores as quantidades de microplásticos nos pacientes com DII, mais graves eram os sintomas apresentados por eles.

O que foi consumido

Pessoas que beberam água engarrafada ou usaram outras embalagens plásticas apresentaram maiores quantidades de microplásticos nas fezes. Crédito: Suteren/Shutterstock

Por meio de um questionário, os pesquisadores levantaram que, em ambos os grupos, as pessoas que beberam água engarrafada, comeram comida embalada para viagem e foram expostas à poeira, tiveram uma quantidade maior de microplásticos em suas fezes.

Isso significa que as pessoas com doença inflamatória intestinal podem ser expostas a quantidades maiores de microplásticos em seu trato gastrointestinal. Contudo, ainda não ficou claro se essa exposição contribuiu para as DIIs, ou se as pessoas com DIIs acumularam mais plásticos nas fezes como resultado da doença.

Via: Asian News International

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!