No mês passado, o Olhar Digital apresentou o robô humanoide Ameca – aquela máquina com o rosto acinzentado capaz de reproduzir expressões faciais de forma incrivelmente realista. 

Robô Humanoide Ameca. Imagem: Engineered Arts

Ameca ganhou os holofotes da mídia e a atenção de anônimos e famosos na Internet, como o excêntrico bilionário Elon Musk, que além de CEO da SpaceX, da Neuralink e da Tesla Motors, também é vice-presidente da OpenAI, uma instituição sem fins lucrativos de pesquisa em Inteligência Artificial, que tem como objetivo promover e desenvolver IA amigável.

publicidade

Ao se deparar com o vídeo institucional de divulgação do robô na web, Musk reagiu com um “Yikes”, expressão equivalente “Caramba!”, o que demonstra a surpresa do empresário.

Chrissy Teigen, uma modelo norte-americana famosa por suas opiniões polêmicas nas redes sociais, compartilhou o vídeo com seus mais de 13 milhões de seguidores no Twitter, dizendo algo como “Definitivamente não” – usando um palavrão, na verdade.

Todo o “auê” em cima de Ameca deixou seus criadores encantados. “Ficamos incrivelmente surpresos”, declarou em entrevista ao site Cnet, Morgan Roe, diretor de operações da Engineered Arts. “Da noite para o dia, tornou-se uma sensação. Temos 24 milhões de visualizações em um post no Twitter”.

Robô Ameca não tem corpo parecido com o dos humanos – o que seria ainda mais impressionante

Agora, Ameca está na CES 2022, impressionando ainda mais pessoas e mostrando que a ficção científica acaba de se tornar real.

Com o corpo todo em plástico e metal, um rosto sem gênero e 17 motores individuais dentro de sua cabeça controlando seus movimentos e expressões, a criatura, nas palavras de Roe, é um “não muito robô com uma aparência não muito humana”. Seja como for, o fato é que suas expressões faciais são surpreendentemente vívidas e emotivas. 

Segundo Roe, é essa combinação entre artificial e realista que brinca com a nossa visão coletiva de como robôs humanoides serão no futuro. “Todos nós vimos isso nos filmes, todos vimos ‘Eu, Robô’ e ‘Inteligência Artificial’, e, de repente, isso é real”.

A participação na CES 2022 marca a primeira vez que Ameca está sendo mostrado a multidões. E, segundo consta, tem chamado a atenção de todos.

Esse não é o primeiro robô humanoide que a Engineered Arts lançou. Nos últimos quatro anos, a empresa vem criando uma linha de robôs realistas e mostrando-os aos visitantes de feiras e exposições como esta.

Leia mais:

“Cada robô é projetado e construído a partir de varreduras 3D internas de pessoas reais, permitindo-nos imitar a estrutura óssea humana, textura da pele e expressões de forma convincente”, diz o site da Engineered Arts. “A linha Mesmer foi projetada para ser modular, para que você possa remover a cabeça com um clique e nenhuma ferramenta, e trocá-la por outra”. 

Na CES 2022, o robô Ameca fica parado na área da Engineered Arts, e não circulando entre o público. Mas, isso não é típico estrelismo de uma nova celebridade instantânea da Internet.

É que ele não sabe andar. “Há muitos obstáculos a serem superados antes que Ameca consiga andar”, diz o site da empresa. “Caminhar é uma tarefa difícil para um robô e, embora tenhamos feito pesquisas sobre isso, não criamos um humanoide ambulante completo”. Roe diz que vai levar pelo menos 10 anos até que um robô como Ameca esteja “andando entre nós”, como um robô de serviço. 

Ameca também não tem um tom de pele realista nem cabelos humanos, como os robôs da linha Mesmer. Ele tem um crânio de plástico translúcido, e podemos ver suas articulações e partes internas. 

“O que descobrimos foi que, quando você tenta fazê-la parecer ultrarrealista, [como] nossa outra linha Mesmer, parece um pouco mais sinistra”, revelou Roe. Realmente, se as expressões faciais tão fidedignas de Ameca já impressionam, imagine se elas fossem feitas por um robô com aparência totalmente semelhante à do ser humano.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!