A modelo Carrie Prejean Boller, que foi eleita Miss Califórnia em 2009, se tornou alvo de uma grande polêmica após postagens negacionistas em seu Instagram. Em vídeos publicados na plataforma, a ex-miss aparece pagando para que crianças e idosos tirem suas máscaras de proteção contra a Covid-19.

Nas publicações, a ex-miss Califórnia aparece dando notas de US$ 5 (cerca de R$ 26, na cotação atual) para que as pessoas retirem o acessório, que ela chama de “fucinheiras”. “Distribuindo notas de US$ 5 para os normais que não obedecem à tirania”, escreveu Boller na legenda de uma das postagens.

publicidade

Em um discurso para uma das crianças, a ex-miss comparou o ato de se negar a usar máscaras como uma atitude revolucionária. “Amanhã, quando você for para a escola sem máscara, seu coração estará acelerado e você ficará nervoso. Mas quero que saiba que está fazendo a coisa certa”, disse ela.

Negacionismo não tem base em dados

Em uma entrevista para a revista Rolling Stone, Boller questionou os dados oficiais da pandemia. Sem nenhuma base, ela afirma que o número de novos casos diários para menores de 18 anos é baixo e que não há riscos relacionados à Covid-19 para pessoas nessa faixa etária.

publicidade

“Você pode fornecer dados estatisticamente significativos que mostrem os benefícios de crianças usando máscaras médicas ou de pano?”, indagou ela ao repórter da revista. Segundo o departamento de saúde do estado da Califórnia, atualmente, crianças e adolescentes menores de 18 anos são responsáveis por cerca de 20% dos casos positivos de Covid-19 no estado.

Leia mais:

publicidade

As polêmicas envolvendo a ex-miss não vêm de hoje ou começaram com o negacionismo envolvendo a Covid-19. Em 2009, quando representava a Califórnia, a modelo ganhou notoriedade durante o Miss America, quando fez um discurso contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Via: Metrópoles

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!