A Nasa concluiu mais uma etapa do processo de alinhamento dos espelhos do Telescópio Espacial James Webb (JWST) nesta sexta-feira, 25. Com isso, a agência conseguiu produzir esta imagem única de uma estrela.

Em outras palavras, os 18 segmentos individuais do espelho primário do telescópio foram alinhados e os engenheiros conseguiram reunir a luz refletida por eles para o mesmo local no sensor NIRCam. Assim, a imagem final é resultado da sobreposição dos pontos de luz dos 18 segmentos de espelho.

publicidade
Empilhamento de imagens no James Webb
Nesta imagem, as imagens de cada segmento individual foram reunidas em um único ponto. Imagem: Nasa; STScI / Divulgação

Esse marco significa que estamos quase na metade no processo de ajustes do equipamento. Isso porque são sete fases no total, e a agência concluiu a segunda e a terceira fases, chamadas de “Alinhamento de Segmentos” e “Empilhamento de Imagens”.

Alinhamento dos segmentos de espelho do James Webb
Este gif mostra as imagens “antes” e “depois” da etapa “Alinhamento do Segmento”, quando a equipe corrigiu grandes erros de posicionamento de seus segmentos de espelho primário e atualizou o alinhamento do espelho secundário. Imagem: Nasa; STScI / Divulgação

“Ainda temos trabalho a fazer, mas estamos cada vez mais satisfeitos com os resultados que estamos vendo”, disse Lee Feinberg, gerente de Elementos do Telescópio Óptico de Webb no Goddard Space Flight Center da NASA. “Anos de planejamento e testes estão pagando dividendos, e a equipe não poderia estar mais animada para ver o que as próximas semanas e meses trazem”, concluiu.

Próxima etapa

Embora a Nasa tenha sido bem-sucedida em reunir todos os pontos de luz no sensor NIRCam, os segmentos do espelho estão ainda agindo como 18 pequenos telescópios. Agora, a equipe precisará fazer ajustes com uma precisão menor que o comprimento de onda da luz nos segmentos para tornar essa estrela ainda mais nítida.

Leia também:

A partir de agora, a agência inicia a quarta fase de alinhamento dos espelhos, conhecida como “Fase grosseira”. Nessa etapa, o NIRCam é usado para capturar espectros de luz de 20 pares separados de segmentos de espelho.

Isso ajuda a equipe a identificar e corrigir o deslocamento vertical entre os segmentos do espelho ou pequenas diferenças em suas alturas. Isso tornará o único ponto de luz da estrela progressivamente mais nítido e mais focado nas próximas semanas.

“Para trabalharem juntos, como um único espelho, os 18 segmentos de espelhos primários do telescópio precisam se igualar a uma fração de um comprimento de onda de luz — aproximadamente 50 nanômetros”, explicou a agência anteriormente.

Via: Nasa e Ars Technica

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!