No último dia 19, durante seu 26º voo, o helicóptero Ingenuity, da NASA, fotografou o paraquedas e a carenagem que ajudaram o drone e o rover Perseverance a pousar em Marte, dentro da Cratera Jezero, em 18 de fevereiro de 2021.

A equipe do Ingenuity foi solicitada a tentar registrar imagens do trem de pouso da missão Perseverance para ajudar o projeto conjunto da NASA com a Agência Espacial Europeia (ESA) de retorno de amostras de Marte, que visa transportar para a Terra o material que o rover vem coletando no solo marciano, talvez em 2033.

publicidade
Helicóptero Ingenuity fotografa o paraquedas e a carenagem que ajudaram em seu pouso em fevereiro de 2021. Imagem: NASA/JPL-Caltech

“O Perseverance teve o melhor pouso documentado de Marte na história, com câmeras mostrando tudo, desde a inflação dos paraquedas até o touchdown“, disse Ian Clark, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA, que trabalhou como engenheiro de sistemas da missão Perseverance e agora é líder da fase de ascensão do retorno de amostras de Marte, em um comunicado emitido na quarta-feira (27).

“Mas as imagens feitas pelo Ingenuity oferecem um ponto de vista diferente”, acrescentou Clark. “Se elas reforçarem que nossos sistemas funcionaram como achamos que funcionaram ou se fornecerão até mesmo um conjunto de informações de engenharia que possamos usar para o planejamento de retorno de amostras de Marte, será incrível. E se não, as fotos ainda são fenomenais e inspiradoras”.

O equipamento ajudou o rover Perseverance – com o drone Ingenuity enfiado em sua “barriga” – a sobreviver à longa viagem da Terra até Marte, bem como a passar pela atmosfera marciana

Uma das fotos feitoas pelo helicóptero Ingenuity mostrando o paraquedas e a carenagem que ajudaram em seu pouso em fevereiro de 2021. Imagem: NASA/JPL-Caltech

Com 21,5 m de largura, o paraquedas supersônico da missão foi o maior já implantado em Marte, e suavizou drasticamente a descida do rover, que foi colocado no chão de Jezero por meio de cabos de um guindaste movido a foguete. E como mostra a boa saúde tanto do rover quanto do helicóptero, a carenagem e o paraquedas fizeram bem o seu trabalho.

Leia mais:

Análises iniciais das novas fotos feitas pelo Ingenuity indicam que o trem de pouso aguentou muito bem todo o processo, apesar das tensões sofridas. A casca traseira está em pedaços, o que não surpreende, haja vista que atingiu a superfície marciana a cerca de 126 km/h na ocasião do pouso.

“O revestimento protetor da carenagem parece ter permanecido intacto durante a entrada atmosférica de Marte”, diz o comunicado do JPL. “Muitas das 80 linhas de suspensão de alta resistência que conectam a concha traseira ao paraquedas são visíveis e também parecem intactas”.

Helicóptero Ingenuity percorreu 360 metros em seu 26º voo em Marte

Embora apenas um terço do paraquedas seja visível nas imagens, “a armação não mostra sinais de danos causados pelo fluxo de ar supersônico durante a inflação”, acrescentaram os funcionários do JPL no comunicado, informando que várias semanas de análise serão necessárias para um “veredicto final”.

“Para obter as fotos que precisávamos, o Ingenuity fez muitas manobras, mas estávamos confiantes porque já havia feito manobras complicadas nos voos 10, 12 e 13”, disse Håvard Grip, piloto-chefe da missão Ingenuity no JPL.

Foram feitas 10 fotos do equipamento, sob uma variedade de perspectivas, durante o 26º voo do Ingenuity, que teve 159 segundos de duração, a 8 metros acima do nível médio do solo da cratera Jezero, percorrendo um total de 360 metros e marcando a comemoração de um ano do voo inaugural do helicóptero em Marte. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!