O Dallara AV-21, carro autônomo de corrida da Indy Autonomous Challenge (IAC) programado pela equipe PoliMove (do italiano Politecnico di Milano e da americana Universidade do Alabama), bateu um novo recorde de velocidade. No Centro Espacial Kennedy, o veículo mais avançado da categoria (e que foi usado por todas as equipes no evento que fez parte da Consumer Electronics Show deste ano) alcançou 309,3 km/h.

Comparado aos modelos anteriores do veículo, o carro autônomo da PoliMove recebeu uma atualização no pacote de motor. Isso resultou em uma entrega 30% maior em potência.

Vídeo relacionado

Leia também:

Mais poder para bater recordes

Ou seja, se os motores sem a atualização rendiam 455 cv, 30% a mais significam uma potência em cerca de 591 cv. Segundo a IAC, o pacote de motor atualizado estará em todos os seus carros autônomos de corrida daqui para frente. Confira abaixo o vídeo oficial registrando o recorde sendo batido pela máquina da PoliMove (sem um piloto ao volante):

publicidade

As próximas competições da IAC serão anunciadas nos próximos meses. Operando apenas com algoritmos, cada veículo é equipado com sensores LiDAR (destinados a fornecer detecção de longo alcance de 360 ​​graus), câmeras, atuadores para direção autônoma e um motor turbo de 4 cilindros.

Organizado pelo Indianapolis Motor Speedway (IMS) – principal templo do esporte a motor nos Estados Unidos – em parceria com a organização não governamental Energy Systems Network (ESN), o IAC tem como modelo o Darpa Grand Challenge, concurso lançado pelo Departamento de Defesa americano nos anos 2000 que incentivava o desenvolvimento de carros autônomos. Cada veículo competindo na corrida custa mais de US$ 1 milhão (em torno de R$ 5 milhões hoje, 02) para ser feito.

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Imagem: Reprodução/Twitter/Amanda_Healy/https://twitter.com/Amanda_Healy/status/1519701764131495937?s=20&t=P8bbd_DiCi4UX2sUpSUXEQ