Uma nova patente da Apple sugere um dispositivo de realidade virtual (RV) para ser usado pelos passageiros em carros autônomos – e também em modelos convencionais. A ideia é permitir às pessoas dentro de um veículo participar de reuniões virtuais de trabalho, relaxar com paisagens projetadas enquanto viajam e até mesmo se entreter com jogos e outros conteúdos.

Conforme traz o documento da Apple registrado no Escritório de Patentes e Marcas Registradas dos Estados Unidos (USPTO), há também o propósito do uso de RV para ajudar aqueles passageiros com enjoos em uma viagem. Ou seja, a partir de dados obtidos por sensores e câmeras (por exemplo, palidez, sudorese, inquietação, frequência de pulso e respiração, movimentos oculares e mais), o dispositivo (um headset ou óculos) altera o conteúdo virtual para acomodar melhor a pessoa.

publicidade

Leia também:

Ilustração de passageiro fazendo uso da tecnologia registrada na patente da Apple
Imagem: Reprodução/USPTO

Os passageiros poderão optar por ter a experiência virtual de andar por outro local real, como as ruas de Londres, as praias do Rio de Janeiro e por aí vai, ou por cidades/paisagens fictícias. Cenários históricos podem gerar experiências virtuais educativas e interativas – o conteúdo RV sendo acompanhado por informações sobre a história do lugar ou outras informações sobre pontos de referência.

Dentre as cenas virtuais possíveis descritas pela empresa, há também passeio em um barco nas águas de um rio sereno ou sobrevoando uma bela paisagem usando uma asa delta, por exemplo. Experiências virtuais emocionantes, como você se ver em uma perseguição de carro ou dirigindo por um ambiente pós-apocalíptico (com zumbis atacando), são outras possibilidades em realidade virtual dentro de um carro.

Ilustração de como seria a realidade virtual para o passageiro de um carro autônomo
Imagem: Reprodução/USPTO

Uma intensa imersão da Apple

Na patente da Apple, são encontrados detalhes que aumentam a imersão. Estamos falando de planos para uma verdadeira experiência 4D, pois o sistema de aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC) do carro sopraria ar em seu rosto, enquanto os alto-falantes reproduzem áudio surround e o assento configura posições e movimentos usando seus próprios motores internos.

Ilustração da patente com um passageiro sendo acomodado conforme configuração de um banco
Imagem: Reprodução/USPTO

Em um capítulo especial para veículos autônomos, a patente da Apple registra que as modalidades do sistema de realidade virtual podem permitir carros que se dirigem sozinhos com mais segurança, menores e mais baratos. Isso porque as janelas nos veículos são uma parte menos segura – não são estruturalmente tão sólidas – e aumentam o custo dos veículos.

Ao fornecer uma visão virtual do ambiente real ou de um ambiente simulado, o sistema de RV pode reduzir ou eliminar a necessidade de janelas em veículos autônomos, permitindo projetos com menos e/ou janelas menores, ou até mesmo sem janelas. Além disso, a experiência de realidade virtual “pode proporcionar aos passageiros a sensação de que eles estão andando em um veículo maior do que é realmente”.

Tal como acontece com todas as patentes, não há garantia de que veremos a Apple trazer esse tipo de sistema para um carro real (nem mesmo se a realidade virtual pensada aqui vai acompanhar o aguardado Apple Car). Aliás, algumas das últimas pistas a respeito do veículo da “mãe do iPhone” deram conta de que sua chegada pode acontecer em 2025, sendo completamente autônomo (Nível 5 no padrão da Sociedade dos Engenheiros Automotivos, SAE).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Imagem: withGod/Shutterstock

Via Patently Apple