Um relatório da NASA descoberto em 2017 foi “ressuscitado” na Internet na última semana, causando um verdadeiro alvoroço nas redes sociais. Tudo porque a agência, na época, estudava enviar uma tripulação totalmente feminina para Marte “para evitar sexo no espaço”.

Para a NASA, apenas casais de gêneros biológicos opostos fazem sexo? Imagem: Anton Korobkov – Shutterstock

Segundo o documento, se a espaçonave transportasse apenas mulheres cisgênero, não haveria o risco de que alguém engravidasse durante a missão. “Descobriu-se que a tripulação deveria ser do mesmo sexo: todos homens ou todas mulheres”, disse a astronauta Helen Sharman ao jornal britânico The Sun.

Ocorre que, quase seis anos depois dessa entrevista concedida pela oficial, que foi a primeira cidadã do Reino Unido a voar para além da Terra, o assunto voltou à tona. Na última quinta-feira (7), o fórum virtual Pandlr, destinado ao público LGBTQIAP+, publicou a notícia em sua conta no Twitter, gerando uma onda de memes e piadas – afinal, o que impede pessoas do mesmo gênero biológico de fazerem sexo?

Preocupação da NASA com gravidez no espaço é legítima

Polêmicas e brincadeiras à parte, o fato é que uma gestação no espaço realmente seria algo muito preocupante, já que não existem estudos sobre a influência de uma viagem para outros planetas em uma gestação.

publicidade

Algumas regras internacionais estabelecem que pessoas grávidas são impedidas de embarcar em espaçonaves. Por isso, todas as integrantes femininas de missões espaciais devem ser submetidas a testes regulares nos dez dias que antecedem a decolagem.

Além dos riscos desconhecidos de uma gravidez, acredita-se que as condições espaciais não dispõem de gravidade suficiente para que seja possível efetuar um ato sexual.

Mesmo se fosse possível, em atos sexuais que envolvessem pênis, “a ejaculação no espaço aconteceria a uma velocidade de 18 km/h”, dizia o documento vazado da NASA, que destacava também o perigo de que o sêmen pudesse “flutuar”, colocando toda a tripulação em risco de gravidez ou de adquirir infecções.

Leia mais:

Por que uma tripulação toda de mulheres e não de homens?

Não é apenas a prática sexual que está envolvida na preferência por uma tripulação totalmente de mulheres nas viagens à Marte. Pesquisas de mais de 70 anos atrás sugeriram que as mulheres cis (como são chamadas aquelas que se identificam com o gênero com o qual nasceram) tem corações mais fortes e poderiam ser mais resistentes às turbulências, bem como à radiação. 

Análises psicológicas ainda apontavam que as mulheres lidam melhor com o isolamento e com a privação de informações sensoriais.

Outra razão crucial para optar por mulheres em vez de homens como potenciais habitantes de Marte é basicamente econômica: teoricamente, uma tripulação feminina seria mais barata de se manter no espaço.

A NASA também considera que as mulheres trabalham melhor em equipe e são menos propensas do que os homens a brigar pela liderança do grupo (será?).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!