Com as big techs ficando na parede, cada vez mais pressionadas para ter mais transparência em seus algoritmos e na IA (inteligência artificial), a Meta tomou à frente e revelou, nesta quinta-feira (29), ferramentas e informações destinados aos seus usuários, para que estes entendam como a IA influencia o que é visto em suas redes.

Foram introduzidas quase duas dúzias de explicações focadas em diversos recursos de suas plataformas, como os Stories do Instagram e o feed de notícias do Facebook. Nelas, descreve-se como a Meta seleciona o conteúdo a ser recomendado.

Leia mais:

Pedidos por mais transparência

  • As explicações e divulgações vêm em momento no qual vários países do mundo estreitam a fiscalização a empresas que usam IA por meio de novas leis;
  • Chamados de “cartões de sistema”, da Meta, eles cobrem a maneira pela qual a empresa indica as contas que devem ser sugeridas aos usuários, além de como funcionam suas ferramentas de busca e as notificações;
  • Exemplo: o cartão de sistema voltado à função de busca do Instagram explica a forma:
    • Como o aplicativo capta resultados relevantes quando há uma busca de um usuário;
    • Ranqueia cada resultado com base em suas interações passadas;
    • Então, aplica “filtros adicionais” e “processos de integridade” para encurtar a lista antes de apresentá-la ao usuário.

Com rápidos avanços de tecnologias poderosas, como IA generativa, é compreensível que as pessoas estejam entusiasmadas com possibilidades e preocupadas com riscos. Acreditamos que a melhor maneira de responder a essas preocupações é com aberturas [como essa].

Nick Clegg, presidente de assuntos globais da Meta, em postagem de blog

Um post maior descreve como o ranking de conteúdos do Facebook funciona, enquanto identifica fatores detalhados que determinam quais informações serão apresentadas em primeiro.

publicidade

Tais fatores incluem a possibilidade de um post de ser sinalizado por um app de terceiros que checa fatos, quão envolvente a conta responsável pela publicação e se já houve interação com ela anteriormente.

As novas explicações da Meta coincidem com o lançamento de novas ferramentas para usuários para adaptar seus algoritmos, inclusive, a habilidade de dizer ao Instagram para fornecer mais de um tipo de conteúdo. Anteriormente, a empresa ofereceu apenas a possibilidade de os usuários do Instagram pedirem à rede social para mostrar menos, não mais, escreveu Clegg.

O presidente de assuntos globais da Meta indicou, ainda, que, tanto no Facebook, como no Instagram, os usuários poderão customizar seus feeds mais além acessando um menu disponibilizado em cada post.

Por fim, ele informou que a Meta tornará mais fácil para pesquisadores estudar suas plataformas ao disponibilizar uma biblioteca de conteúdo e uma API com uma variedade de conteúdo do Facebook e Instagram.

Com informações de CNN

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!