Por pouco, a Apple não liberou para seus usuários de iPhone um recurso que os permitiria comprar e vender ações de empresas diretamente pelo dispositivo, segundo a CNBC e o The Verge.

A ideia começou a todo vapor em 2020, durante a maré alta das ações. Contudo, com a diminuição no ritmo de ascensão dos papéis em 2022, a empresa da maçã deixou o projeto esfriar e o arquivou na gaveta.

Leia mais:

Negociação de ações no iPhone (só que não)

  • Fontes indicaram à CNBC que a Apple estava trabalhando no recurso em conjunto com a Goldman Sachs, a mesma que gere os serviços financeiros da companhia;
  • O recurso estava prestes a ser lançado em 2022, quando a Apple recuou, pois “temia a reação dos usuários se as pessoas perdessem dinheiro no mercado de ações com a ajuda de um produto da Apple”, reportou a CNBC;
  • A partir daí, Apple e Goldman Sachs se voltaram a criar o Apple Savings, a conta-poupança da empresa, lançada em abril deste ano;
  • Contudo, em junho, o The Wall Street Journal indicou que a Goldman Sachs pode trocar a Apple pela American Express.

Ainda não se sabe se a Apple vai retomar seu projeto de negociações em Bolsa de Valores via iPhone – a empresa não respondeu aos questionamentos do The Verge.

publicidade

Tap to Pay: o que é e como usar o iPhone como uma “maquininha”

O serviço Tap to Pay é um recurso dos smartphones iPhone, pertencente à Apple, e chegou recentemente ao Brasil para facilitar a vida dos comerciantes. O serviço “transforma” o iPhone do logista em uma maquininha, que aceita pagamento por NFC de cartões, de outros celulares, e até de smartwatches. Confira mais informações sobre o recurso neste link.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!