Pesquisadores da Universidade Técnica de Munique (Alemanha) alcançaram a maior precisão já registrada ao medirem a rotação da Terra.

Essas medições não só serão úteis para determinar a posição da Terra no Espaço, mas também para melhorar os modelos climáticos, tornando-os mais confiáveis.

publicidade

Leia mais:

O recorde foi possível graças ao Observatório Geodésico Wettzell, que vem aprimorando seu anel de laser há mais de uma década. Em 2011, o laboratório conseguiu medir a rotação da Terra diretamente pela primeira vez.

publicidade

Movimento de rotação

  • Durante sua viagem pelo Espaço, a Terra gira em torno de seu eixo a velocidades ligeiramente variáveis;
  • Além disso, o eixo em torno do qual o planeta gira não é estático, oscilando devido aos movimentos do interior da Terra;
  • Essas mudanças na massa do planeta afetam a velocidade de rotação e essas diferenças podem ser detectadas usando sistemas de medição extremamente precisos, como o anel de laser;
  • Segundo o Inovação Tecnológica, o laboratório Wettzell possui dois feixes de laser em contra-rotação que viajam em torno de uma rota quadrada, formando um circuito fechado;
  • Quando o conjunto gira, a luz em rotação no mesmo sentido tem que percorrer uma distância maior do que a luz em contra-rotação, gerando uma diferença nas frequências das ondas de luz;
  • Essa diferença é usada para calcular a velocidade rotacional da Terra.

Para atingir altos níveis de precisão, o laboratório Wettzell otimizou cada elemento do experimento ao longo dos anos. Com essa otimização, agora é possível medir a rotação da Terra com precisão de até nove casas decimais, correspondendo a uma fração de milissegundo por dia.

Isso é equivalente a uma incerteza que começa apenas na 20ª casa decimal da frequência da luz dos feixes de laser e se mantém estável por vários meses. Durante períodos de aproximadamente duas semanas, as flutuações observadas atingiram valores de até seis milissegundos.

publicidade

A equipe de cientistas registrou variações mínimas na taxa de rotação da Terra ao nível de cinco partes por bilhão, o que permite resolução de alguns milissegundos ao longo de 120 dias de medições contínuas. Essa conquista representa avanço significativo na compreensão da rotação e movimento da Terra.