O The New York Times (NYT) iniciou um processo legal contra a OpenAI e a Microsoft, acusando-as de infringir direitos autorais – dando novos capítulos para uma situação que já ganhava corpo em agosto deste ano. Segundo o importante jornal dos EUA, milhões de artigos da organização de notícias foram usados para construir modelos de inteligência artificial.

A situação é um pouco mais delicada, tendo em vista que agora, as tecnologias estão competindo diretamente com o conteúdo do NYT. Como aponta o jornal, o The New York Times é a primeira grande organização de mídia americana a processar as empresas (OpenAI e Microsoft, responsáveis pelo modelo GPT e por outras plataformas populares de IA), por questões de direitos autorais associadas aos seus trabalhos escritos.

Leia também:

O jornal argumenta que as tecnologias responsáveis pelo funcionamento do ChatGPT e do Copilot, são capazes de replicar, resumir e imitar o estilo dos artigos do Times. Isso acaba diminuindo as receitas da corporação vinculadas a assinaturas, licenciamento, publicidade e afiliados. O que até mesmo prejudica o vínculo do NYT com os próprios leitores.

publicidade

Ameaça ao The New York Times e ao jornalismo em geral

Nas alegações, o NYT aponta que esses modelos ameaçam a integridade do jornalismo de qualidade ao dificultar a proteção e monetização do conteúdo original. Segundo a ação judicial, a utilização sem permissão ou compensação do jornalismo do The New York Times para alimentar produtos concorrentes resultou em lucros substanciais para a OpenAI e Microsoft.

O jornal diz ter tentado sem sucesso negociar compensações justas pelo uso de seu conteúdo. Agora, a ação busca uma compensação financeira por “bilhões de dólares em danos legais e reais”. Além disso, o NYT pede que a corte proíba a OpenAI e a Microsoft de usar seus artigos para treinar modelos de IA e que exclua o conteúdo do jornal dos conjuntos de dados das empresas.

OpenAI e Microsoft já vêm sendo alvo de ações semelhantes relacionadas à violação de direitos autorais. Em novembro, por exemplo, a dupla se tornou alvo de um processo movido por escritores que afirmaram não terem recebido qualquer compensação financeira pelo uso de livros e artigos acadêmicos para treinamento de grandes modelos de linguagem.

Via The Verge