A Amazon Web Store (AWS), plataforma de serviços de computação em nuvem da Amazon, pode estar precisando olhar mais atentamente ao retrovisor. Ao que tudo indica, graças ao impulso enorme dado pela inteligência artificial (IA), os serviços em nuvem da Microsoft estão se aproximando rapidamente da rival.

Não há detalhes financeiros oficiais do Azure sendo apresentados. Mas análises do segmento indicam que, nos últimos cinco anos, a divisão da Microsoft cresceu de metade para cerca de três quartos do tamanho da AWS, sua principal concorrente (graças, em parte, aos avanços e investimentos em IA).

Leia também:

Sinais importantes de números positivos do Azure já tinham sido vistos no ano passado, quando o terceiro trimestre dos serviços em nuvem da Microsoft registrou 29% de crescimento. Na comparação, o Google Cloud cresceu 22% e o AWS 12% naquele período.

publicidade

IA no aumento das receitas

Durante a teleconferência de resultados no mês passado, a diretora financeira da Microsoft, destacou que o aumento da receita na divisão Azure e serviços em nuvem foi impulsionado significativamente pela IA. De acordo com Amy Hood, a tecnologia contribuiu com 6 pontos percentuais de crescimento no último período, um aumento em relação aos 3 pontos percentuais do trimestre anterior.

Então, deu-se uma espécie de lógica. Mesmo com a Amazon tendo crescimento no segmento (singelo, talvez), o crescimento no último trimestre dos serviços em nuvem da Microsoft foi de 30% – contra 13% da AWS no mesmo período.

Turbinando tudo pela IA

Para suportar a execução de modelos de IA, como o GPT-4, que alimenta o chatbot ChatGPT da OpenAI, a Microsoft ampliou a capacidade de processamento gráfico (GPU) em seus data centers. Conforme o CEO Satya Nadella, os movimentos da empresa resultaram em 53.000 clientes Azure AI (e a parceria com a OpenAI também tem parte nesse atrativo).

O crescimento acelerado em nuvem contribui significativamente para os lucros da Microsoft, que chegou a brilhar por um curto período como a empresa pública mais valiosa do mundo, superando a Apple (que já retomou o lugar).

Enquanto isso, a AWS demorou a introduzir um modelo concorrente ao GPT-4, embora agora ofereça uma gama de modelos, incluindo um da Anthropic, com apoio da Amazon. Andy Jassy, CEO da Amazon, mencionou que a plataforma de serviços em nuvem da empresa fornece uma ampla seleção de instâncias de computação com chips Nvidia, destacando o uso de seus processadores de IA por clientes como Airbnb e Snap.

Via CNBC