Arqueólogos localizaram um adorno antigo de 12.940 anos no Wyoming, nos Estados Unidos. O material tem formato de cilindro e é o mais antigo do tipo já encontrado no hemisfério ocidental. De acordo com os pesquisadores, ele pertenceu a cultura pré-histórica Clóvis, que surgiu há cerca de 13 mil anos, no final da última Era do Gelo.

Leia mais

Após análise, os pesquisadores concluíram que o material é feito do osso metapodial ou da falange proximal de uma lebre. Ele teria sido usado como miçanga para fins decorativos.

“Embora a utilização de osso de lebre para o fabrico de miçangas fosse uma prática comum no oeste da América do Norte durante o Holoceno, as suas origens podem agora ser rastreadas pelo menos até ao Pleistoceno terminal”, afirmaram os responsáveis pelo estudo.

publicidade

O artefato tem apenas 7 milímetros de comprimento e 2,9 milímetros de diâmetro. As pontas dele são alisadas e polidas, enquanto há sulcos marcados nas laterais.

Além desta miçanga de osso, o resto do sítio arqueológico também é intrigante. É um acampamento antigo com diversas áreas de atividades centradas em lareiras. Acredita-se que as populações antigas tenham vivido no local por um longo período de tempo.

As extremidades da miçanga antiga (Imagem: Todd Surovell)

Miçanga pode desvendar mistérios das populações antigas

  • A descoberta dos arqueólogos é considerada importante para fornecer mais pistas sobre a cultura Clóvis, como a caça, hierarquia, decoração pessoal e até padrões de migração, através de uma comparação de miçangas semelhantes de diferentes lugares e épocas.
  • Os pesquisadores, no entanto, estão confiantes de que as miçangas e outros ornamentos pessoais serviam para sinalizar aspectos de identidade para a população antiga.
  • As descobertas foram detalhadas em estudo publicado na revista Scientific Reports.
  • As informações são da ScienceAlert.