Um estudo, feito por equipe da Universidade de Pittsburgh (EUA) e publicado na Aging Cell, foi capaz de constatar que marcadores sanguíneos podem revelar a idade biológica de alguém, o que pode ajudar a tratar vários problemas de saúde que podem ocorrer à medida que nosso corpo envelhece.

Para quem não está ciente do que é a idade biológica, aqui vai uma contextualização: existem nossas idades reais, a idade cronológica, o número de anos que vivemos; mas, além delas, temos as idades biológicas, que, em termos simples, é o desgaste das células e dos órgãos.

Leia mais:

Saber a idade biológica de nossos corpos pode ser muito útil. Pode ajudar a calcular o risco de doenças, adaptar tratamentos e ainda auxilia a compreender melhor as diferentes taxas de degradação de nosso corpo.

publicidade

“Imagine duas pessoas de 65 anos. Um vai de bicicleta para o trabalho e esquia nos finais de semana e a outra não consegue subir um lance de escada. Elas têm a mesma idade cronológica, mas idades biológicas muito diferentes. Por que essas duas pessoas envelhecem de maneira diferente?”, diz Aditi Gurkar, geriatra da Universidade de Pittsburgh, para nos ajudar a entender melhor esse conceito.

Pesquisa teve idosos como objeto de estudo

  • Os pesquisadores conduziram o estudo com 196 idosos, divididos em dois grupos;
  • O primeiro teve voluntários com 75 anos ou mais que foram designados como indivíduos que envelheceram de modo saudável;
  • O segundo grupo tinha voluntários com idades entre 65 e 75 anos, classificados como indivíduos que envelheceram rápido;
  • Os idosos saudáveis conseguiram subir um lance de escada ou caminhar por 15 minutos sem descansar, enquanto os idosos de envelhecimento rápido tiveram que fazer pausas em cada atividade;
  • O resultado da atividade e as coletas do sangue deram à equipe de estudo a oportunidade de observar as diferenças entre os grupos ao nível molecular.

Imagem: Constantine Pankin/Shutterstock

O foco da análise que a atividade permitiu foi encontrar diferentes metabolitos; eles são pequenas moléculas deixadas por processos biológicos no corpo e podem ser usados como evidência de quais processos estão acontecendo e quão bem eles estão funcionando.

25 metabolitos foram encontrados e, neles, ficaram atestadas as diferenças significativas entre os idosos saudáveis e os idosos que envelheceram rápido. O grupo de moléculas foi denominado Índice Metabólico do Envelhecimento Saudável.

“Optamos por observar os metabólitos porque eles são dinâmicos”, diz Gurkar. “Eles mudam em tempo real para refletir nossa saúde atual e como nos sentimos, e temos o poder de influenciá-los por meio de nosso estilo de vida, dieta e ambiente.”

O Índice mostrou eficácia de 68% para dizer a idade biológica em novos testes realizados em outros grupos. Conforme o estudo nessa área se aprofundar mais, seria possível desenvolver exame de sangue para avaliação rápida e fácil da idade biológica.

Seria possível até mesmo determinar a idade biológica de pessoas bem mais jovens, quando as alterações nos processos moleculares são mais fáceis de modificar. Desse modo, alguém na casa dos 30 anos pode descobrir que sua idade biológica é bem mais alta do que a cronológica.

“Essa pessoa poderia, então, pensar em mudar, ainda jovem, aspectos de seu estilo de vida, seja melhorando o sono, a dieta ou a rotina de exercícios, para, com sorte, reverter a sua idade biológica”, conclui Gurkar.

Imagem: H_Ko/Shutterstock