EnglishPortugueseSpanish

A Libra, projeto de moeda virtual do Facebook, não será controlado por uma única empresa. A afirmação veio do líder do projeto da criptomoeda, David Marcus, em Washington. A fala chega como uma tentativa da companhia de diminuir os questionamentos ao redor do projeto.

Durante conferência organizada pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), na capital americana, David Marcus afirmou: “Para nós, está muito claro desde o início que um sistema de pagamentos como o da Libra não deve ser controlado por uma única empresa”.

publicidade

A Associação Libra, criada para lançar a criptomoeda, teve um início muito forte, mas foi perdendo força em função dos requisitos regulatórios e de desistências de grandes empresas. Na última segunda-feira (14) a criotomoeda foi lançada em Genebra, mas sua estreia foi marcada pelas ausências de empresas como Visa, Mastercard e PayPal.

David Marcus disse que quer “reiterar o firme compromisso de estar em conformidade com os requisitos dos regulamentos” antes que o sistema descentralizado de blockchain Libra entre em vigor.

Outras instituições também tiveram a criptomoeda como pauta recentemente, o tema foi abordado pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) e pelo Banco Mundial em Washington, Estados Unidos.

Bruno Le Maire, ministro francês, afirmou que a Libra “não é bem-vinda no território europeu”. O G7 – grupo formado por Alemanha, França, Reino Unido, Itália, Canadá, Japão e Estados Unidos – fez um acordo em Washington, que firmou o estabelecimento de uma estrutura estável como condição básica para o lançamento de criptomoedas.

publicidade

O G20, atualmente presidido pelo Japão, também solicitou ao FMI que examine as implicações macroeconômicas do lançamento da moeda.

Via: Folha