Uma obra de arte digital foi vendida nesta quinta-feira (11) pelo valor de US$ 69,3 milhões em um leilão online, estabelecendo um novo marco para a internet – e para o mundo das artes.

Isso porque a “Everydays – The First 5000 Days” carrega algumas características notáveis: além de ela ser completamente digital – ou seja, ela só existe de fato no mundo online -, ela foi forjada com NFT, ou non-fungible token (no inglês).

publicidade

Os tokens não-fungíveis, na criptolândia, são tokens construídos em cima da blockchain Ethereum e os quais permitem tokenizar quaisquer dados usando um identificador único e não intercambiável.

Obra de arte digital Everydays - The First 5000 Days, do designer Beeple
A obra “Everydays – The First 5000 Days” representa uma colagem do artista, publicadas desde 2007. Crédito: Mike Winkelmann (Beeple)

Bitcoins, por exemplo, são intercambiáveis, porque você pode trocar essas criptomoedas por dinheiro vivo, seja dólar ou real, por exemplo, desde que cambiadas pelo valor equivalente. NFTs são, portanto, sinônimo de artigos raros e colecionáveis.

Em resumo, a obra digital de Beeple foi registrada em blockchain, com identificadores únicos, garantindo não apenas a sua autenticidade, mas também a sua propriedade. Em um mundo onde a falsificação de obras é comum, ter essas características é excepcionalmente interessante.

Leia também:

E se o valor da obra parece alto, é porque é mesmo. A título de comparação, em 2018 o artista Bansky teve seu icônico quadro da “Menina com o Balão” posto a leilão no Reino Unido – aquele que logo depois de confirmada a venda foi picotado ao vivo -, arrematado por US$ 5 milhões.

Vale citar que a “Everydays – The First 5000 Days” foi a primeira obra da Christie’s, tradicional casa de leilão de Nova York (EUA), a aceitar pagamento em Ethereum.

Isso, por si só, já é um grande marco para um estabelecimento que existe desde 1766 e já vendeu obras de artistas famosos como Pablo Picasso e Leonardo da Vinci.

Rebecca Riegelhaupt, porta-voz da Christie’s, afirmou que 33 licitantes ativos estavam interessados na peça.

Os mais US$ 60 milhões da arte digital fizeram com ela alcançasse a classificação de terceira maior venda feita de uma obra de um artista ainda vivo.

Esse ranking hoje é encabeçado pelo artista Jeff Koons, escultor estadunidense conhecido por criações como o seu cachorro em forma de balão (o “Ballon Dog”), que já tinha batido recorde quando leiloado por US$ 58 milhões em 2018.

Escultura Ballon Dog, do artista plástico Jeff Koons
O artista Jeff Koons é conhecido por suas esculturas em aço, com a aparência de balão.
Crédito: Hayk_Shalunts/Shutterstock

A obra, no entanto, foi desbancada por “Retrato de um Artista (Piscina com Duas Figuras)”, de David Hockney, um pintor inglês de 83 anos que tem como característica principal de suas obras as cores vibrantes. O retrato de acrílico sobre tela foi leiloado em 2018 por US$ 90,3 milhões.

O pintor só não manteve o primeiro lugar porque Koons bateu novo recorde com “Rabbit”. O coelho esculpido em aço inoxidável foi vendido por US$ 91,1 milhões, em 2019.

Um não artista chamado Beeple

Mike Winkelmann é o nome por trás do pseudônimo Beeple. O designer gráfico nunca se considerou um artista. Inclusive, seu usuário no Instagram é o @beeple_crap, e a descrição no seu site sobre seu trabalho é a seguinte: “Mike Winkelmann cria uma variedade de porcarias em forma de arte, em uma variedade de mídias”.

A “Everydays – The First 5000 Days” é uma colagem que reúne 5 mil imagens que Beeple publicadas online, todos os dias, desde 2007.

Winkelmann já trabalhou em colaboração com grandes nomes como Louis Vuitton, Justin Bieber e Katy Perry.

Você pode conferir a “Everydays – The First 5000 Days” online no site da Christie’s. O legal é que, por meio do site, é possível dar um zoom na obra e ver todas as imagens que fazem parte da colagem.

Via: The New York Times