Ao que tudo indica o app de mensagens seguras Signal, que teve crescimento exponencial nos últimos meses graças à controvérsia sobre os novos termos de serviço do WhatsApp, foi banido na China. Segundo o TechCrunch, os servidores responsáveis pelo serviço estão inacessíveis desde a manhã desta terça-feira (16), e o site do app foi bloqueado na segunda-feira (15).

O Signal era uma das poucas redes sociais ocidentais de grande porte que ainda era acessível no país sem o uso de uma VPN (Virtual Private Network, Rede Virtual Privada). Facebook, Twitter e Instagram são bloqueados há muito tempo, e novatas como a Clubhouse são rapidamente barradas assim que ganham popularidade.

Leia mais:

Apesar do bloqueio, o Signal ainda está disponível na versão chinesa da App Store, loja de aplicativos da Apple. O app tem 510 mil downloads na China, e globalmente ultrapassou recentemente a marca de 100 milhões de downloads combinados entre iOS e Android.

publicidade

O governo chinês monitora detalhadamente todas as comunicações no país, inclusive as conversas em apps populares como o WeChat, que tem mais de 1,1 bilhão de usuários mensais.

Termos desfavoráveis ao governo ou governantes são bloqueados, e quem testa os limites pode ter a conta suspensa sem aviso ou mesmo ser “convidado para tomar um chá” com a polícia, expressão local para uma intimação. 

Signal foi bloqueado também no Irã

No final de janeiro, o Signal também foi bloqueado no Irã. A medida foi adotada após o app ter sido enquadrado por um comitê do governo – composto pelo procurador-geral da República e diversos ministérios do país – sob acusações de apresentar conteúdo criminoso.

Desde 14 de janeiro, o Signal havia sido removido do Cafe Bazaar e da Myket, duas lojas de aplicativos conhecidas na região. No entanto, a represália ao app agravou-se em 25 de janeiro, quando diversos usuários do Signal no Irã relataram problemas ao tentarem se conectar à plataforma.

Apesar de não existir uma estimativa do número de usuários do app no país, o Signal se tornou recentemente o aplicativo mais baixado da Play Store iraniana. O motivo é simples: desde que o WhatsApp anunciou sua nova política de privacidade, os iranianos decidiram apostar no Signal como uma alternativa mais segura para troca de mensagens.

O problema é que a própria premissa do Signal de ser uma plataforma segura pode ter intimidado o governo iraniano. “Tradicionalmente, sempre que o governo iraniano não consegue descobrir o que está acontecendo ou quem está fazendo o quê, eles temem que as pessoas estejam fazendo algo contra o governo”, afirmou Amir Rashidi, pesquisador de segurança da internet e direitos digitais.

Fonte: TechCrunch