Mulheres que têm uma entrada precoce na menopausa têm um risco até 40% maior de desenvolver doença coronária ao longo de suas vidas. Os dados são de uma pesquisa preliminar apresentada na Conferência de Estilo de Vida e Saúde Cardiometabólica, organizada pela Associação Americana do Coração.

A doença coronária é um tipo bastante comum de doença cardíaca, nela, as artérias ao redor do coração ficam bloqueadas por conta do acúmulo de placas que se desenvolvem com o tempo. Se ela não for detectada e tratada rapidamente, as mulheres podem sofrer com dores no peito e correm sério risco de infarto.

publicidade

“Sabemos por pesquisas anteriores que as mulheres que experimentam a menopausa precoce têm mais probabilidade de desenvolver doenças cardíacas a curto prazo”, Priya M. Freaney, estudante de cardiologia da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, ao Medical Xpress. “No entanto, não entendemos totalmente o risco a longo prazo. Nenhum estudo anterior analisou isso”, acrescentou ela.

“Precisamos entender melhor quais fatores contribuem para o risco de doença cardíaca durante a vida de uma mulher e, especificamente, como o momento da menopausa pode estar relacionado ao risco”, complementou a pesquisadora.

53 anos de estudo

Para a realização do estudo, os pesquisadores reuniram dados de seis grupos de diferentes lugares ao redor dos Estados Unidos. Ao todo, foram analisadas informações de mais de 10 mil mulheres negras e brancas, com idades entre 55 e 69 anos. Como prerrogativa, elas precisavam estar livres da doença coronária no início dos estudos. Os dados começaram a ser compilados em 1964 e o acompanhamento foi feito até 2017.

Normalmente, a menopausa começa por volta dos 50 anos, por isso, o estudo definiu como menopausa precoce os processos que tiveram início aos 40 anos ou antes. Isso indicava que as mudanças hormonais no corpo dessas mulheres as levaram à menopausa mais cedo que o esperado.

Leia mais: 

Após terem esses dados em mãos, os pesquisadores avaliaram o risco de desenvolvimento de doença coronária ao longo da vida entre todas as participantes. Os resultados foram comparados entre mulheres negras que tiveram menopausa precoce e outras da mesma etnia que entraram neste período na idade esperada. A mesma análise foi realizada com as mulheres brancas dos estudos.

Maior risco em negras

Mulheres negras têm até três vezes mais chances de desenvolver menopausa precoce em comparação com as brancas. Crédito: FG Trade/iStock

A partir daí, foi descoberto que as mulheres negras tinham o triplo de chance de desenvolver menopausa precoce em comparação com as brancas. Os números são 15,5% e 4,8%, respectivamente.

Já entre mulheres negras e brancas, as que experimentaram a menopausa precoce tiveram um risco 40% maior de desenvolver a doença coronária ao longo de suas vidas em um comparativo com aquelas que entraram na menopausa na idade esperada. Este número se manteve mesmo com a adição de fatores de risco, como tabagismo, hipertensão e obesidade.

“Esses resultados indicam que a menopausa prematura está associada a um maior risco de doença cardíaca coronária ao longo da vida. Para mitigar esse risco, os médicos precisam começar a perguntar às mulheres sobre seu estado de menopausa mais cedo”, disse Freaney. “Se uma mulher tiver menopausa antes dos 40 anos de idade, ela deve informar seu médico”, completou ela.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!