O Nubank anunciou nesta terça-feira (8) dois novos investimentos extensões da rodada série G, que teve início em janeiro e que já havia captado US$ 400 milhões. Um deles foi o aporte de US$ 500 milhões da Berkshire Hathaway, um dos maiores fundos do mundo comandado pelo bilionário guru das finanças Warren Buffett.

O segundo aporte foi no valor de US$ 250 milhões, provenientes da americana Sands Capital, em parceria com as brasileiras Verde Asset e Absoluto Partners. Com a nova capitação, o valor de mercado da companhia chega a US$ 30 bilhões, passando a fintech na frente de grandes competidores, como a XP Investimentos.

publicidade
Nubank recebeu novos investimentos, entre eles o de US$ 500 milhões da Berkshire Hathaway, comandada pelo magnata Warren Buffett (foto). Crédito: Kent Sievers/Shutterstock

A rodada série G do Nubank soma, agora, um total de US$ 1,15 bilhão, resultando na maior rodada de investimentos já realizada por uma empresa de tecnologia privada da América Latina.

Ainda de acordo com o anúncio, as novas injeções de valores irão ajudar a companhia a “acelerar a nossa missão de desburocratizar a vida das pessoas na América Latina”.

O banco digital iniciou a rodada série G em janeiro, quando anunciou também que o montante seria utilizado para expandir as operações da empresa na Colômbia e no México. Esse primeiro investimento contou com outros nomes do mercado como GIC, Whale Rock e Invesco.

Veja também!

Na mesma época dessa captação de recursos, a fintech ultrapassou a marca de 21 milhões de clientes para o cartão de crédito e 32,5 milhões de clientes da NuConta, a conta digital da empresa. A conta do Nubank, inclusive, encerrou 2020 com um total de R$ 29,6 bilhões em depósitos.

Com a nova avaliação de mercado, a empresa conseguiu consolidar a operação de forma bastante promissora, se tornando a sétima startup mais valiosa do mundo, ocupando um espaço que era, até então, da Epic Games (US$ 28,7 bilhões), segundo ranking da CB Insights, consultoria de inteligência de mercado que monitora os unicórnios globais.

Encabeçam a lista: Bytedance, dona do Tiktok (US$ 140 bilhões), seguida pela Stripe (US$ 95 bilhões); SpaceX, de Elon Musk (US$ 74 bilhões); Didi Chuxing, dona da 99 (US$ 62 bilhões); Instacart (US$ 39 bilhões) e Klarna (US$ 31 bilhões).

Esse é um feito especialmente considerável se levado em conta que a empresa pode estar se preparando para uma oferta pública (IPO, na sigla em inglês), como relatou a Reuters em abril deste ano.