No último mês de maio, a gigante Amazon, do bilionário Jeff Bezos, decidiu comprar o estúdio cinematográfico de Hollywood MGM. Agora, mais de um mês depois, a senadora Elizabeth Warren pediu à Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) uma revisão meticulosa da aquisição do estúdio pela big tech.

Para a senadora, o acordo pode prejudicar os consumidores, além de ter efeitos anticompetitivos no meio do streaming e fora. O negócio movimentará, de acordo com o The Wall Street Journal, quase US$ 8,5 bilhões (aproximadamente R$ 42,25 bilhões, em conversão direta)

publicidade

Leia mais:

Warren enviou uma carta a Lina Khan, recém-empossada presidente da FTC, publicada pelo site The Verge, a senadora pediu que órgão examine de modo específico e cuidadoso também os impactos em produtos de entretenimento.

“Além dos impactos mais amplos que esta transação pode ter sobre os trabalhadores, pequenas empresas e a concorrência em geral, uma vez que a Amazon – que já domina vários mercados – acelera seu comportamento monopolista agressivo”, diz o texto da senadora.

A FTC, por sua vez, revisa o acordo como parte de uma investigação antitruste dos negócios da empresa de Bezos. Para persuadir a comissão a examinar tudo com mais minúcia, Elizabeth Warren citou a Seção 7 da Lei Antitruste Clayton.

Wikimedia Commons/Olhar Digital
O acordo de compra do MGM pela Amazon deve movimentar quase US$ 8,5 bilhões. Imagem: Wikimedia Commons/Olhar Digital

A legislação destacada pela senadora impede fusões cujos resultados podem “reduzir substancialmente a concorrência ou tender a criar um monopólio”. O argumento dela é que o grande impacto econômico da Amazon beneficia o serviço de streaming Prime Video fortalecendo sua posição no mercado.

Quando a Amazon anunciou que havia fechado o acordo para adquirir o estúdio de cinema, o vice-presidente sênior da Prime Video e Amazon Studios Mike Hopkins disse que a empresa se interessou pela MGM por ser um “tesouro” para o catálogo que planejam construir com a equipe do estúdio.

Warren, porém, parece não se convencer disso. Ela escreveu que a tática usada pela Amazon, ao operar com prejuízo financeiro e preços baixos para acumular clientes e capturar o mercado, já funcionou antes. “A FTC deve determinar se essa aquisição é uma estratégia de entretenimento ou apenas mais um passo em direção à monopolização irrestrita”, completou.

Via: The Verge

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!