Se gosta de jogos de fazenda tal qual o saudoso ‘Colheita Feliz’ do Orkut, mas busca algo diferenciado, talvez ‘Monster Harvest’ seja uma boa pedida. Diferente de títulos nos quais os jogadores atêm-se apenas às simulações de práticas rurais de plantio, criação de gado e outros aspectos semelhantes, o game desenvolvido pela Merge Games (a publisher de ‘Alex Kidd in Miracle World DX‘) em conjunto com a Maple Powered implementa mecânicas de combate semelhante às existentes nos hits do Gameboy e uma trama intrigante para tentar fugir da mesmice automática.

Imagine uma junção dos melhores jogos de ‘Pokémon’ dos anos 2000 com um toque de ‘Stardew Valley’? O resultado é ‘Monster Harvest’, sem sombra de dúvidas. Aliás, o game tem o mesmo estilo retrô e abusa do mesmo modus operandi da franquia de sucesso da Nintendo, com uma história através da visão de terceira pessoa, perspectiva aérea e três telas básicas principais: um mapa aberto (no qual o jogador navega com o personagem principal), uma tela de batalha e uma interface de menu, na qual o jogador modifica itens, “poderzinhos” ou outras configurações.

publicidade
review monster harvest
Fazenda + Pokémon = ‘Monster Harvest’. Imagem: Ross Griffith (Merge Games)

No entanto, o RPG tem como diferencial a fusão perfeita entre simulador de fazenda e criação de “animais mutantes”. Ou seja, o jogador pode criar a própria área de plantio, construir e personalizar a casa, fabricar equipamentos que auxiliam durante a jornada, mas também terá que descobrir e lidar com as estranhas gosmas (chamadas de “slimes), que causam mutações nas plantações e geram monstrinhos leais para serem utilizados em batalhas de turnos.

Sim, uma hora você está semeando em campos com um cenário pitoresco que poderia ser descrito como outonal (se algumas das árvores não fossem roxas ou em tons de azul brilhante) e, em outras, as plantações atingem o “ponto ideal” e se tornam criaturas sencientes, chamadas “planimais”. É bonitinho ver os “pokémons da fazenda” seguindo o personagem no mapa visualmente belíssimo ao som de uma trilha sonora agradável e “chiclete”, enquanto você explora as masmorras e batalha com outros monstros ao melhor estilo Ash Ketchum. Dependendo da estação do ano, do Slime ou da cultura que você modificou, é possível criar 72 mutações diferentes, ao todo.

Monster Harvest Images | Onono - Gamers Connect
Monstrinhos criados na fazenda lutam por você em ‘Monster Harvest’. Imagem: Ross Griffith (Merge Games)

É tão igual que alguns jogadores mais saudosistas (calma, nintendistas, não foi indireta) podem achar que a homenagem “passou dos limites” e soe como cópia, mas a Merge Games é inteligente demais a não atrelar ‘Monster Harvest’ só às mecânicas de combate – isso sem contar que as “lutinhas” acontecem em visão aérea na tela, e não lateral igual a ‘Pokémon’. Claro, as batalhas são partes presentes do game e importantes, porém a jornada do protagonista para derrubar a maligna corporação SlimeCo é tão interessante quanto para levar o jogador em frente.

Após escolher o avatar, disponível entre quatro opções, o protagonista ganha a fazendo do seu então distante tio, que argumenta não ter mais tempo para cuidar do local, pois está trabalhando intensamente no laboratório em que desenvolveu a fórmula para a criação dos “planimais”. Por tal razão, a cidade e economia do local em questão agora movimentam-se ao redor da “fábrica de monstrinhos” e da maligna corporação SlimeCo, que esconde vários segredos.

review monster harvest
Explore a cidade de Planimal Point para seguir em frente na história. Imagem: Ross Griffith (Merge Games)

Assim que conhece Planimal Point, o jogador encontrará lojas onde pode comprar móveis para reformar sua casa em expansão, explorar calabouços, cemitério, praças, loja de poções e até um hospital, além de interagir com NPCs para dar sequência ao enredo e etc. Mesmo desconsiderando a companhia dos monstros, essa vida idílica está longe de ser solitária (conforme os desenvolvedores explicam no vídeo abaixo). E, óbvio: quando está cansado de pessoas, você sempre pode voltar à fazenda para irrigar seus campos, construir espantalhos ou até mesmo descansar.

Porém, verdade seja dita: ‘Monster Harvest’ tem características que renovam o estilo, de fato, mas não é tão inovador quanto se propõe a ser, e notavelmente bebe da fonte de vários outros jogos. Fãs de ‘Stardew Valley’ reconhecerão a arte isométrica, enquanto jogadores de ‘Ooblets’ afirmarão que já têm cultivado e colecionado criaturas há algum tempo. Em questão de gameplay, a montaria que o protagonista usa assemelha-se um pouco com um Chocobo de ‘Final Fantasy’, mas “sem grife”. E, claro, como muitos dos sucessos do gênero nos últimos anos, o RPG tem óbvias raízes em ‘Harvest Moon’, ‘Animal Crossing’, porém rejeitando o pacifismo – o que leva à maior inspiração: ‘Pokémon’.

Caso for o seu estilo, o título tem tudo para agradar pelas mecânicas de combate simples e saudosistas, além do fator “viciante” que é de simular uma vida real na fazenda. Agora, o jogador que não gostar ou não estiver acostumado provavelmente irá se aborrecer e abandonar o game após certas horas de jogatina. Mesmo com o enredo intrigante e os diferenciais apontados, ‘Monster Harvest’ não escapa do fator maçante que alguns dos títulos citados anteriormente possuem. Ao longo da jornada do protagonista, a jogabilidade é sempre a mesma, os desafios tornam-se repetitivos e é fácil decorar os mapas após algum tempo.

De qualquer modo, ‘Monster Harvest’ é um título com uma proposta interessante e que certamente deve satisfazer os jogadores que procuram passar o tempo simulando o trabalho em fazendas ou mesmo aqueles que curtem um estilo ‘Pokémon’ de batalha típico da era do Gameboy. A trama é chamativa da mesma forma também, porém não ajuda em nada o jogo a inovar o suficiente ou a não soar repetitivo e maçante.

review monster harvest
‘Monster Harvest’ intriga, mas torna-se maçante após algum tempo. Imagem: Ross Griffith (Merge Games)

E cabe o questionamento: por que a Merge e a Maple Powered não lançam uma versão mobile? O game pesa aproximadamente 1 GB nos consoles e, com o mod adequado, seria uma ótima aposta para smartphones e tablets por conta de estar envolto na fórmula prática de “curtir para passar tempo”. Creio que o título encontraria nos aparelhos celulares um público mais cativo e, talvez, uma experiência melhor do que a dada nos consoles.

Caso esteja interessado no game, saiba que ‘Monster Harvest’ já está disponível para PlayStation 4 (PS4), Xbox One e Nintendo Switch, PC (Steam) e via retrocompatibilidade para PlayStation 5 (PS5). Vale ressaltar que o título conta com localização 100% para português do Brasil. Confira mais detalhes com sinopse e trailer oficiais logo abaixo:

“Prepare-se para embarcar em uma aventura única ao começar uma nova vida em Planimal Point. Crie sua própria fazenda, construa e personalize sua casa, fabrique seus móveis, faça geleias deliciosas e transforme suas plantações em companheiros leais e destemidos que podem ser levados para a batalha!”

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!