Lançado ao espaço nesta segunda-feira (27), o satélite da Nasa Landsat 9 trabalhará em parceria com o Landsat 8, que está em funcionamento no espaço desde 2013, e que fez imagens impressionantes do vulcão Cumbre Vieja, em erupção há quase dez dias nas Ilhas Canárias, na Espanha.

Imagem capturada pelo satélite Landsat 8 mostra fluxo de lava brilhante do vulcão Cumbre Vieja, horas antes de atividade ter uma breve pausa. Imagem: NASA Earth Observatory images by Lauren Dauphin, using Landsat data from the U.S. Geological Survey

Nas imagens, vívidos fluxos de lava aparecem nitidamente escorrendo pela cordilheira costeira e se aproximando do Oceano Atlântico

publicidade

Leia mais:

População teme encontro da lava do vulcão Cumbre Vieja com o mar

De acordo com o site Space, o Operational Land Imager (OLI) do satélite Landsat 8 da Nasa registrou fluxos de lava brilhantes serpenteando pela ilha no domingo (26), uma semana após a erupção. 

“Depois que o Cumbre Vieja se abriu e entrou em erupção, uma parede de lava basáltica de movimento lento começou a abrir caminho através de partes povoadas de uma das Ilhas Canárias”, relatou um comunicado da Nasa. 

Nesta segunda imagem, é possível ver apenas a fumaça que o vulcão expele a uma altura impressionante. Imagem: NASA Earth Observatory images by Lauren Dauphin, using Landsat data from the U.S. Geological Survey

No dia seguinte ao registro feito pelo satélite, o vulcão teve uma breve pausa pela manhã, mas começou a expelir cinzas novamente após algumas horas. Os moradores do local estão confinados em suas casas por medo do que pode acontecer com o encontro entre a lava e as águas do mar, que deve ser logo.

Especialistas dizem que a entrada de lava na água do mar enviará nuvens de gás tóxico para o ar, causando explosões e uma fragmentação da rocha derretida. “A inalação ou contato com gases e líquidos ácidos pode irritar a pele, os olhos e o trato respiratório e causar dificuldades respiratórias, especialmente em pessoas com doenças respiratórias pré-existentes”, alertou o Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!