Nesta segunda-feira (4), o WhatsApp ficou fora do ar (junto com o Facebook e o Instagram). No entanto, essa não é a primeira vez que o mensageiro cai no Brasil: relembre outras vezes que o serviço ficou indisponível por aqui.

Veja outras vezes que o WhatsApp ficou fora do ar

Ainda esse ano, em abril, os três serviços também ficaram parcialmente inacessíveis na tarde do dia 8. No Instagram, nem os stories e nem o feed carregavam, o mesmo foi observado no Facebook. Nos dois casos os problemas foram registrados no aplicativo. Já no WhatsApp, apenas a versão web do serviço apresentou instabilidade. O problema durou cerca de 1 hora e foi corrigido por volta das 18h50.

publicidade

Na mesma época, o Instagram ficou fora do ar no Android, após uma falha em um aplicativo padrão do sistema operacional do Google. O Facebook e outros apps chegaram a apresentar o mesmo problema alguns dias antes.

Na ocasião, o travamento ocorreu por conta de um problema no aplicativo  Android System Webview e ao desinstalar o serviço, os erros paravam de aparecer. O Google também lançou uma atualização para corrigir o problema.

Em junho, a trinca de plataformas do Facebook também saiu do ar. De acordo com a plataforma Downdetector, o maior pico de reclamação do WhatsApp foi por volta das 19h com instabilidade e problemas para carregar áudios e mensagens. Já no Instagram e no Facebook, ficou difícil atualizar o feed e receber qualquer notificação.

Em março, no dia 19, foi a vez das redes sociais ficam indisponíveis em várias partes do mundo. Por volta das 15h, cerca de uma hora após o início das reclamações, os serviços do Facebook como a própria rede social, WhatsApp e Instagram voltaram a funcionar. Na época a falha foi apontada como uma “instabilidade técnica”.

Leia mais:

Decisão judicial deixou app indisponível

Entre o fim de 2014 e o começo de 2015, muitos brasileiros descobriram o Telegram após a Justiça determinar o bloqueio do WhatsApp no Brasil. Pode parecer meio absurdo, mas o serviço ficou inacessível durante um dia inteiro. E isso não ocorreu apenas uma vez: foram registrados três bloqueios judiciais contra o mensageiro.

O motivo foi o mesmo em todas as vezes: a recusa do WhatsApp em acatar fornecer informações para investigações. Segundo a empresa, a criptografia do aplicativo impede que a empresa cumpra esse tipo de solicitação.

Em dezembro de 2014, o Tribunal de Justiça de São Paulo mandou que as provedoras de internet do Brasil tirassem o app do ar por 48 horas. Uma liminar, porém, acabou derrubando o bloqueio em menos de 24 horas.

Já em maio de 2015 foi a vez do juiz Marcel Montalvão, da cidade de Lagarto (SE), a determinar a suspensão do app. O magistrado é o mesmo que solicitou a prisão de Diego Dzodan, vice-presidente do Facebook na América Latina, no início de março. Essa segunda ordem era de 72 horas, que também não foi cumprida até o fim.

Em julho de 2015, a decisão partiu da juíza de fiscalização da Comarca de Duque de Caxias do Rio de Janeiro, Daniela Barbosa. A suspensão foi uma represália contra o Facebook – dono do app – que teria se recusado a fornecer informações sobre uma investigação policial.

Redes sociais indisponíveis

Essas foram apenas algumas das vezes em que o WhatsApp ficou indisponível no Brasil, há dezenas de outras falhas técnicas que deixaram o mensageiro fora do ar. A queda desta segunda-feira (04) ainda não foi explicada pela empresa.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!