A missão Hope (Esperança), dos Emirados Árabes Unidos, que chegou a Marte há oito meses, já começou a fornecer alguns dados científicos intrigantes sobre a atmosfera marciana e seus padrões climáticos.

Dados coletados em Marte pela sonda Hope, dos Emirados Árabes Unidos, estão reunidos em um portal público. Imagem: SAMDXB – Shutterstock

Segundo o Ars Technica, a sonda está em uma órbita relativamente alta, variando de 20 mil a 43 mil km de altitude, o que a permite ver um hemisfério inteiro por vez. Assim, durante grande parte deste ano, Hope apontou sua câmera multiespectral, espectrômetro infravermelho e espectrômetro ultravioleta para Marte para coletar dados sobre a atmosfera do planeta e as condições climáticas resultantes.

publicidade

Embora seja um projeto financiado pelos Emirados Árabes, a sonda foi construída em conjunto com várias universidades americanas, como a University of Colorado Boulder, uma parceria que visava inspirar jovens emiradenses a se aperfeiçoar em matemática e ciências e treinar alguns deles por meio das colaborações resultantes. 

Banco de dados público

Um dos objetivos da missão Hope é o compartilhamento aberto dos dados resultantes. Dessa forma, a missão abriu recentemente um portal de dados científicos. Qualquer pessoa pode se cadastrar para ter acesso a imagens brutas e dados coletados pela sonda, com novos conjuntos de dados sendo divulgados a cada três meses. 

A missão está planejada para operar por um período mínimo de dois anos em órbita ao redor do Planeta Vermelho.

Já foram feitas algumas descobertas interessantes. Embora a fina atmosfera do planeta seja predominantemente composta de dióxido de carbono, o oxigênio molecular é um gás residual. De acordo com as observações da sonda Hope na atmosfera superior, as concentrações de oxigênio variam em mais de 50%. Variações semelhantes também foram observadas no monóxido de carbono.

Leia mais:

Os cientistas agora estão trabalhando para entender essas variações, que não se encaixam inteiramente nos modelos atuais da atmosfera marciana.

Outro estudo da sonda Hope é em relação às temperaturas na superfície de Marte. O instrumento age como um satélite meteorológico em órbita ao redor do planeta. Embora existam muitas considerações para determinar os locais de pouso iniciais para humanos em Marte, compreender as condições climáticas locais também será uma ferramenta valiosa para os responsáveis pela missão.

Emirados Árabes têm planos ambiciosos no espaço

Após o sucesso de sua missão de exploração de Marte, a Agência Espacial dos Emirados Árabes Unidos anunciou recentemente que está planejando uma sonda ainda mais ambiciosa, que fará um sobrevoo de Vênus no final desta década e, em seguida, viajará para o cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter. Lá, a sonda observará até sete asteroides antes de tentar pousar em um deles, em 2033.

Para isso, o país voltará a se associar a universidades sediadas nos EUA, para ajudar a desenvolver a espaçonave e fortalecer ainda mais a colaboração com educadores no Oriente Médio.

Sarah al-Amiri, presidente da Agência Espacial dos Emirados Árabes Unidos e ministra de estado para tecnologia avançada. Imagem: lev radin – shutterstock

“Nosso objetivo é claro: acelerar o desenvolvimento de inovação e empresas baseadas no conhecimento nos Emirados”, disse Sarah al-Amiri, ministra de ciências avançadas e presidente da Agência Espacial dos Emirados Árabes Unidos. “Isso não pode ser feito em um estado estacionário; isso requer saltos na imaginação, na fé e na busca de objetivos que vão além do prudente ou metódico”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!