Imagine que você está dormindo tranquilamente e de repente, acorda com um extraterrestre de 4,5 bilhões de anos deitado ao seu lado. Foi mais ou menos isso que aconteceu no último dia 3 de outubro, no Canadá.

A queda de um meteorito não é algo que podemos classificar como “raro”. Várias toneladas dessas rochas extraterrestres atingem nosso planeta todos os anos. Mas quando o meteorito cai em um centro urbano, geralmente chama mais a atenção. Especialmente se ele atravessar o telhado de uma casa e ficar a poucos centímetros de atingir a cabeça de sua moradora.

publicidade

Assista:

Ruth Hamilton, de 66 anos, conta que na noite de 3 de outubro estava dormindo em sua cama, no primeiro andar de sua casa na cidade de Golden, em British Colombia, no Canadá. Deitada confortavelmente sobre dois travesseiros, ela acordou no meio da noite com um forte estrondo e com detritos do seu teto caindo sobre seu rosto.

Fragmento de meteorito de 1,27 Kg encontrado entre os travesseiros da Sra. Hamilton
Fragmento de meteorito de 1,27 Kg encontrado entre os travesseiros da Sra. Hamilton. Foto: Ruth Hamilton

Assustada, Ruth pulou da cama, ligou a luz e viu seu quarto repleto de pedaços de gesso e de uma poeira escura. Viu também o buraco no teto, logo acima da sua cama. Ela olhou pela janela pensando que uma árvore teria caído e atingido seu telhado. Mas as árvores estavam inteiras…

Leia mais:

Ela ligou então para o serviço de emergência e, enquanto falava pelo telefone, virou um dos travesseiros e viu abaixo dele, aquela rocha escura, um meteorito do tamanho de um melão. A Senhora Hamilton gelou na hora. Percebeu que a rocha havia atravessado seu telhado e caído entre seus travesseiros, a poucos centímetros de onde, há pouco, repousava sua cabeça.

Meteorito atingiu a casa da Sra. Hamilton enquanto ela dormia sobre dois travesseiros e caiu entre eles
Meteorito atingiu a casa da Sra. Hamilton enquanto ela dormia sobre dois travesseiros e caiu entre eles. Foto: Ruth Hamilton

De cara ela não pensou que fosse um meteorito. O oficial da Polícia Montada Real Canadense que veio assim que ela ligou para a emergência, acreditava que o incidente seria resultado de uma explosão nas obras da Rodovia Trans-Canadá, a algumas centenas de metros dali.

Mas depois de ser informado que não houve explosões na obra e que alguns operários haviam visto um grande meteoro cruzando o céu naquela noite, o oficial retornou e disse à Senhora Hamilton que sua casa havia sido atingida por um meteorito. Isso a deixou sem dormir naquela noite.

Senhora Ruth Hamilton (66), que por muito pouco, não foi morta pelo meteorito
Senhora Ruth Hamilton (66), que por muito pouco, não foi morta pelo meteorito. Reprodução: Global News

Pelas imagens, o meteorito parece ser um condrito ordinário com baixo teor de metal. Os condritos são restos do processo de formação do sistema solar. É parte do material que formou os planetas rochosos, mas que não havia se agregado a nenhum corpo maior, até agora.

Ao entrar na atmosfera em alta velocidade, o fragmento de rocha espacial gerou uma bola de fogo que foi observada por várias testemunhas naquela noite. O fenômeno também foi gravado em câmeras de vigilância e de monitoramento de meteoros no sudoeste do Canadá.

Mas a melhor imagem foi feita a 50 km de Golden. O astrofotógrafo Hao Qin fotografava o belíssimo céu noturno sobre o Lago Louise quando a imensa bola de fogo cruzou o céu, transformando a noite em dia por alguns segundos. Hao registrou em sua câmera o exato momento em que aquele fragmento de rocha espacial atravessou a atmosfera em alta velocidade, a caminho da casa da Senhora Hamilton.

Passagem atmosférica da rocha extraterrestre registrada no Canadá
Passagem atmosférica da rocha extraterrestre registrada no Canadá. Créditos: Hao Qin

Como lembrança daquela noite muito louca, Ruth Hamilton tem agora uma belíssima foto e um meteorito, mais antigo que o planeta Terra, que deitou ao seu lado em sua cama e, por muito pouco, não a transformou na primeira, comprovada, vítima fatal de um meteorito da história.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!