Nesta quinta-feira (2) o Twitter anunciou que removeu mais de três mil contas vinculadas com governos de diversos países do mundo

De acordo com as informações divulgadas pela rede social, seis países foram afetados pela remoção, são eles: México, China, Rússia, Tanzânia, Uganda e Venezuela.

publicidade

“Na maioria dos casos, as contas foram suspensas por várias violações de nossas políticas de manipulação de plataforma e spam”, diz a rede social. A empresa explica que monitora essas contas desde 2018.

Das contas removidas pelo Twitter, a maior parte, 2.048 delas, estavam na China. “Removemos uma rede de relatos que ampliava as narrativas do Partido Comunista Chinês relacionadas ao tratamento da população uigur em Xinjiang”, diz o texto.

Twitter remove contas

“A divulgação desses conjuntos de dados continua sendo fundamental para essa missão. Continuamos avaliando nossos princípios e abordagem a essas divulgações críticas e aprendemos várias lições ao longo do caminho”, finaliza.

Recentemente, o Twitter suspendeu uma série de contas ligadas com ataques cibernéticos feitos por hackers norte-coreanos. Os criminosos se passavam por pesquisadores de segurança e utilizavam vulnerabilidades da rede social para acumular mais seguidores quando a conta era criada e assim ganhar credibilidade na plataforma.

Os hackers foram encontrados pelo Google TAG no começo do ano e passaram a ser monitorados desde então. Além do Twitter, outras redes como o LinkedIn, Keybase e o GitHub também hospedaram perfis falsos do grupo.

“Nós (TAG) confirmamos que eles estão diretamente relacionados ao grupo de contas sobre o qual escrevemos no blog no início deste ano”, comentou Weidermann . “No caso de @lagal1990, eles renomearam uma conta do GitHub que pertencia a outro de seus perfis do Twitter que foi encerrado em agosto, @mavillon1”, disse Adam Weidermann, analista do Google TAG.

Leia mais:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!