Medicina e Saúde

Instagram e TikTok pioraram transtornos alimentares durante a pandemia

03/12/21 17h51
Pés femininos em uma balança

Crédito: VGstockstudio/Shutterstock

Muito antes de o Facebook virar Meta, a empresa de Mark Zuckerberg e suas subsidiárias, como o Instagram, foram e são muito criticadas por abrigar conteúdo que pode ser prejudicial para adolescentes. Grande parte desse conteúdo está associado a imagem corporal negativa e transtornos alimentares.

Isso acontece por conta dos conteúdos que são postados nessas plataformas, que contam com muitos filtros e edição, o que pode reforçar ideais irrealistas. Além das redes da Meta, o TikTok também já recebeu críticas parecidas, por manter vídeos com conteúdo que promove transtornos alimentares, como a bulimia.

Recursos insuficientes

Tanto o Instagram quanto o TikTok possuem recursos projetados para apoiar pessoas com imagem corporal negativa ou distúrbios alimentares. Porém, no caso do Instagram, esses esforços foram ofuscados pelas denúncias de Frances Haugen, ex-funcionária do Facebook que fez uma série de denúncias contra a empresa.

Em um documento, a empresa teria admitido que existem evidências substanciais de que o uso do Instagram e do Facebook podem aumentar a insatisfação corporal, principalmente em adolescentes e jovens adultos. Essas descobertas geraram bastante preocupação por parte de especialistas em psicologia.

Segundo Renee Engeln, professora de psicologia da Universidade Northwestern, em Illinois, nos Estados Unidos, as questões em torno dos transtornos alimentares e de imagem são muito amplas para serem solucionadas por uma ligação e alguns recursos de uma aba específica.

Grande sopa tóxica

Segundo especialista, iniciativas de redes sociais são bastante insuficientes. Crédito: SpeedKingz/Shutterstock

“As pessoas não estão sofrendo por falta de vínculo com os recursos. Quando toda a cultura é apenas uma grande sopa tóxica, isso não vai resolver nossos problemas”, declarou a psicóloga. Segundo Engeln, transtornos alimentares e problemas de imagem se tornaram piores durante a pandemia da Covid-19.

E essa percepção é corroborada por um estudo da Universidade da Pensilvânia, nos EUA, publicado em novembro. A pesquisa descobriu que o número de internações por distúrbios alimentares sobrou nos Estados Unidos durante a pandemia.

Leia mais:

Um outro estudo mostrou que quem já sofria de algum transtorno alimentar, viu sua situação piorar durante os períodos de bloqueio em razão da Covid-19. “Se você estivesse na ponta dos pés à beira de um distúrbio alimentar, Covid-19 poderia tê-lo empurrado para além dessa linha”, disse Engeln.

Via: Cnet

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Sugeridos pra você
Tags